29 de setembro de 2012

Delicadezas




Tudo paira numa singeleza, numa infinda sensibilidade, decotada pelos versos mais românticos da vida. É fé, crença espontânea que se despista por olhos teimosos, retinas que dão colo aos sentimentos efervescentes e arguciosos de corações humanos e apaixonados. É assim que o encanto se distende pelos ambientes sem que percebamos: num espetáculo de delicadezas. 

É uma troca sonante, presente no ato de entrelaçar dedos, no encontro de olhos famintos de amor, na volúpia sagaz de mãos que delineiam os mapas dos corpos. O afago se estende pelo modo desinibido de sorrirmos ao vislumbramos a pintura mais bela, o cortejo azulado de um céu que desponta sua beleza sob o fulgurante brilho das estrelas. Tudo reside numa ânsia de ver, de descobrir a mansidão das ternuras mais únicas a brotarem das terras férteis do amor. 

O âmago da alma se incita. A delicadeza se extrai em sua mimosa exuberância, incidindo na alma a poesia que exala nas rebarbas mais ocultas e escondidas deste mundo tão mascarado pelo véu da descrença. A sutileza persiste e se insiste em nós, trazendo doçuras e espantando agruras. Os olhos escoem a esperança, que flui bonito por entre os poros do nosso corpo. O semblante é firme, porque é retrato de um coração que deseja topar com o atrativo definitivo, a rima mais poética do poema chamado vida. 

Carregamos no peito o leve aceno de quem muito quer ser feliz. Fica evidente no modo de nos evidenciarmos pelas calçadas repletas de breu. Almas caçadoras de encantos, desbravadoras fiéis do sublime, da fragrante emoção que se camufla no coração. Tudo recai nesta amabilidade doce como amora, tão deleitável quanto a água mais pura que se trepida pela cachoeira. O prazer se enaltece na simplicidade, na ávida brandura presente na harmoniosa paz que vive no íntimo. 

O que se que evoca nas pegadas leves é um carinho explícito e amoroso que decora nossos sonhos mais delicados e idílicos. São como canções entoadas e versadas pelo peito amante, reduto de amor, abrilhantado com pétalas de ouro. A fascinação se exclama no fundo do peito, no afinado querer que desdobra pura graça na suave melodia dos ventos noturnos. A felicidade retumba em declamações polidas de paixão, sopros suntuosos de corações que emanam pleno amor. 

São as delicadezas que adornam os sonhos, que se escondem até no mais miserável, que se decora na majestade, no menor e no maior, sem perder sua grandeza. Tudo se torna, se faz e magistralmente existe sob o véu discreto da beleza. O mundo se desenha belo por meio de mãos caprichosas e macias. É a fé, o combustível que sacia a vontade de sorrir, de longamente abraçar e beijar. A sutileza constrói o caminho duradouro, é quem costura a armadura mais resistente e deixa tenra a textura do tecido. 

As delicadezas nos abraçam. E a abraçamos, nos tornamos gigantes, esbeltos na perfeição humana de ser. Deitamos numa fineza implícita que destrava a tranca e abre a janela do nosso quarto mais bonito, permitindo a claridade adentrar, luz âmbar capaz de realçar as cores da alma, numa plena e solene transformação...





Aspas do Autor: Sinceramente? Estou na busca de concretizar a ultima frase deste texto, abrir a janela para a claridade entrar e sofrer a solene transformação, ser incendiado por uma felicidade sem fim, no coração.

12 comentários:

  1. Oi Alexandre,
    Simples e bonito esse post!
    Nem sempre é fácil abrir as janelas e deixar o encanto entrar,de vez em quando ele vem através de brechas que nem percebemos,quando percebemos já estamos iluminados.Talvez a transformação seja boa por vir em pedaços,rs.
    Adorei conhecer teu blog,um ótimo domingo!=)

    ResponderExcluir
  2. Olá Alexandre, querido!

    Voltei, temporariamente, mas voltei. Tinha saudades. Te juro.

    E tinha saudades da tua forma erudita, melódica e harmoniosa de te exprimires.
    Tua escrita, esse texto parece um baloiço, onde as palavras se divertem e animam, mas nunca se deixam cair.

    Que riqueza de vocabulário e de valor semântico pões no que escreves!

    O amor, que sentes, em teu peito e as sutilezas de teu caráter te fazem agir desse jeito e nos transportar, imaginariamente, até onde você quiser.

    É TUDO UMA QUESTÃO DE TERNURA, DA TUA TERNURA. O RESTO VEM, ESPONTANEAMENTE.

    Boa semana.
    Beijos, com carinho, da Luz.

    ResponderExcluir
  3. Olá, gostei do blog, tô dando uma olhada melhor nele, estou começando no blog agora, qualquer ajuda que você possa oferecer fico muito grato.

    ResponderExcluir
  4. Você sempre arrasando nos seus textos. Calando la no fundo vozes que as vezes nos tumultuam. A vida é uma eterna transformação e cabe a alma colorir esses momentos.
    Deixo pra vc uns versos:

    As estrelas e os seus caminhos de luz atravessam galáxias desconhecendo outro conceito que o de brevidade e passagem, sempre à frente até do fim que as persiga, rasgando a escuridão macia das noites eternas.
    Nascem em tempos remotos
    e são o mesmo tempo que foi
    há muito, dizendo longinquamente
    que o destino existe em cada gesto
    decidido à sua luz.

    Um beijo com florzinhas da primavera
    ps: vou colocar uma cam no esconderijo, rsrsrs..

    ResponderExcluir
  5. As coisas mais belas da vida são bem delicadas. Um sorriso da pessoa amada, um simples gesto de quem amamos. A singeleza dos momentos de felicidade plena.

    Desejo que essa janela se abra e você posso enxergar um mundo repleto de maravilhas, você merece.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Carregamos no peito o leve aceno de quem quer ser feliz!
    poxa, que lindo...
    sou mto a favor do Gentileza gera gentileza... Seu texto é lindo, muito útil nos dias de treva em que vivemos!
    que as delicadezas nos abracem!

    bjo

    opinandoemtudo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Quando te leio, dá vontade de viver mais que intensamente, sabia? Correndo o risco de ser feliz, apenas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Alexandre, mto obrigada pela visita. Espero mesmo que vc sempre esteja lá pelo meu cantinho =) Seu blog me traz alegria, "Carregamos no peito o levo aceno de quem muito quer ser feliz". Sim, carregamos e é isso que nos impulsiona, que nos faz viver. Tenho tido alguns momentos de desesperança por esses dias, mas esse leve aceno que carrego me faz voltar a vida com garra, com vontade de prosseguir, de lutar. Boa semana rapaz =)

    ResponderExcluir
  9. Concordo com você no último paragrafo e também estou na mesma busca que você relatou na aspas do autor. Felicidade no coração é plena, transforma o corpo e faz brilhar a alma.

    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Deixe a luz do céu entrar meu caro amigo Alê!Nem sempre deixamos essa luz penetrar nossa alma e nos fazer ver a luz que irradiamos.Abra essa janela e acredite as coisas mudarão.
    Um ótimo findi!
    Beijossss

    ResponderExcluir
  11. Querendo mudanças como eu, amigo. Estou esperando o mundo me surpreender com as mudanças, mas acho que estou um pouco parada demais, esperando demais por falta de coragem de ir em busca dessa transformação. Não sei o que está acontecendo aqui dentro, mas eu parece que não pertenço mais a esse mundo que venho vivendo desde sempre. Eu preciso de uma transformação urgente na alma.

    Amei o texto *-* Desculpa pelo sumiço, mas estou um pouco sem vontade de nada ultimamente.

    Beijos,
    Monique <3
    http://www.secretsofalittlegirl.com/

    ResponderExcluir
  12. É por esse encanto que tudo fica mais doce e leve!

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!