24 de março de 2012

Além da floresta




Num lugar muito distante de tudo e de todos, existia um vilarejo, escondido sobre uma vasta floresta densa. As pessoas que ali moravam nunca saiam de seus limites. O lugar quase não recebia luz direta e o céu era pouco visível. Todos tinham medo ao trespassar os limites da floresta. Os que se aventuraram nunca mais voltaram. Todos compartilhavam a hipótese de que espíritos ruins sequestravam quem ultrapassava a floresta. O medo permeava a maioria dos habitantes. Sim, a maioria! Mas não Edrian.

Edrian era um menino muito curioso. E nunca escondeu sua vontade de percorrer as trilhas da floresta para poder descobrir o que havia além. Mas sua mãe, muito preocupada, sempre o proibiu de sequer pensar nisso. O rapaz ficava entristecido toda vez que ela o repreendia. Algo o instigava a ir à frente, a desbravar o desconhecido. Seu coração o estimulava, o impulsionava a querer. Ele não compreendia muito bem o fato de ser atraído. E todo dia esta vontade crescia, crescia e crescia. Chegou um dia em que ele não aguentou, jogou os medos de lado e seguiu até as trilhas da floresta com intuito de sair dali.

Porém, muitos o viram e gritaram tentando persuadi-lo a não entrar. A sua mãe entrou em desespero e correndo aos prantos implorava para ele voltar. Ele parou, soltou umas lágrimas e partiu mesmo assim. Enquanto ia chorava muito. Ele amava a sua mãe, e todos ali. Entretanto sua vontade de ir em frente era maior. Ele precisava conhecer o que havia além da floresta, o que se escondia por trás daquele mundo verde. Então se aventurou a percorrer bravamente todos os curtos corredores da floresta. Embrenhou-se por matagais cortantes, ultrapassou rios profundos, e passou pelos mais diversos obstáculos e perigos naturais da densa floresta.

Depois de algumas semanas, praticamente morto, ele se arrastava pela terra enlameada. Aos poucos sentia a vida esvaindo. Até que um ar refrescante, uma brisa e um assovio doce começaram a percorrer o ambiente. Era o fim da floresta. Percebendo que estava prestes a sair, ele foi inundado com uma força capaz de levantar seu corpo. Cambaleando seguiu até a luz que irradiava no fim da trilha. Foi então, ao atravessar o limite da floresta que ele pôde contemplar.

Edrian pasmou de emoção, numa sensação de indescritível dimensão. O coração inflou, a alma pareceu pular pela boca. Seus olhos brilhavam com o que acabara de descobrir. Sorriu em pura felicidade. Sair dos limites da floresta foi uma loucura, mas foi na coragem de desbravar o desconhecido, de enfrentar os medos e amparado pela persistência de um coração ansioso, que pôde enfim desvendar o que havia além. Um verdadeiro tesouro...





Aspas do Autor: Mas afinal que tesouro era esse que o fez sentir tamanha emoção? A verdade é que eu não sei. Esta resposta só encontra quem se arrisca a atravessar os limites da “floresta”. Principalmente aquela que há dentro. O caminho para conhecer a nós mesmos ou a vida, por vezes é muito árduo, com muitos obstáculos e pode durar o tempo que for.  O que vamos encontrar além da floresta é uma incógnita.  Tristeza ou alegria, tanto faz. O importante é ir adiante e viver. Além disso, o aprendizado decorrente da busca é um tesouro por si só...

13 comentários:

  1. Olá meu caro, ALF!Ando sumida o tempo tem sico escasso por aqui.Lindo texto,temos que desbravar as florestas,os limites que a sociedade a vida ou nós mesmos nos impomos e ir a luta.O que irá acontecer não sabemos mas se não arriscarmos ficaremos sempre a margem de nós mesmo.
    Um forte abraço e uma ótima semana!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Que saudade desse horizonte ensolarado e cálido.Estava com muitas saudades dos meus amigos bloggeiros(o facebook nos acarrenta)!E sempre há esse cheirinho de chuva e a brisa tocando meus poros.Queria compartilhar isso contigo,que as redes sociais são um universo particular com seus méritos e limitações.Mas confesso que nenhuma é tão constante e agradável quanto o blogger.Faz tão bem e traz uma satisfação tão pura.Devo andar mais por esse universo,pois é bom abraçar o que faz bem.Saudade é pouco para dizer o quanto sinto por ter me ausentado tanto!Depois de alguns anos na blogsfera percebo o quanto ela se difere das outras redes sociais(que rapidamente perdem a essencia e se tornam fulgazes,perdendo-se na própria efemeridade)!Suas palavras são tão saudáveis que fazem um bem muito grande para quem as lê.E essa narrativa só mostrou o seu talento em fazer tudo isso uma arte tão linda que só acrescente.E agradeço peloas comentários beíssimos e reconfortantes em meu blogger.Desculpas pela distancia,mas aqui estou'feliz e cheia de esperança!Bjos bjos!

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto, cada um tem uma floresta a enfrentar e desvendar e descobrir o que há depois dela.
    Bjus ;*

    ResponderExcluir
  4. As mais densas e úmidas florestas, encontram-se em nossa alma,




    bjkas

    ResponderExcluir
  5. Olá, Alexandre!
    Obrigada pela visita, pelas palavras que me soaram carinhosamente, teve um cuidado todo especial para não machucar e isso nos dias de hoje é raridade, mais uma vez, obrigada!
    Seus escritos toca o coração, a alma...Tens entre tantas, mais uma leitora assídua!
    um gde abraço
    ^^

    ResponderExcluir
  6. Oi querido Alexandre,

    Esse menino, que pode representar um qualquer de nós, tinha sede de conhecimento.
    E como tal, penetrou no desconhecido, primeiramente, um pouco a medo, depois no final, aquela sensação de liberdade e de felicidade, que toda a alma sente ao se liberar e ao descobrir, que "voar", mesmo com os pés no chão, é muito cativante e enriquecedor.

    Seus textos são, rigorosamente, bem escritos.
    Grata pelo comentário, que fez há dias em meu blog.

    Postei hoje. Terei muito gosto em sua visita, querido.
    Vou colocar minha foto no painel de seu blog, porque só agora reparei que não tinha posto antes. Se entender fazer o mesmo no meu, agradeço, desde já.
    Não pretendo quantidade, prefiro qualidade.

    Bom fim de semana.
    Beijos da mais pura luz.

    ResponderExcluir
  7. Oi Alexandre,

    Tarefa cumprida. Meu verdadeiro nome é Emília.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá amigo Alexandre! Linda a hist´ria do Edrian,quando o coração manda o melhor é seguir em frente mesmo tendo que enfrentar tantos óbstaculos como o Edrian enfrentou. Amigo Alexandre ,passo para mais uma vez agradecer a tua mens no facebook de parabéns e também para te
    Deixar um beijo e bom fim de semana!

    Carla Granja

    http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt

    ResponderExcluir
  9. Que texto lindo! Seus posts tem um dom de me fazer viajar, fico imaginando cada detalhe >.<
    Tô te seguindo no Twitter, mano :)
    Até a próxima. Abração.

    ResponderExcluir
  10. Que lindo! Alexandre.
    Todos nós temos capacidade de pelo menos tentar descobrir o que há além da floresta. Temos que nos conhecer por dentro, temos que nos arriscar, pois a vida não é tão fácil, temos que lutar constantemente, todos os dias.

    Beijos, saudades.

    ResponderExcluir
  11. Temos que ser sempre aprendizes de feiticeiro...

    Doce Páscoa

    ResponderExcluir
  12. Uma historia que diz muito.
    Não se deixe enfraquecer ao enfrentar obstáculos e problemas. O verdadeiro conquistador é aquele que não oscila com as dificuldades e com paciência mantêm a mente equilibrada. O vencedor usa seu tempo valioso no trabalho valioso. Ele não desperdiça o tesouro do tempo. Ele vai rápido em direção à meta de se tornar um ser humano melhor. Ele acende a luz do entusiasmo de forma a tornar sua vida cheia de luz.
    Adorei. Coragem e Sabedoria para desvendar o que esta por tras do limite.
    Beijos Alê, fica com deus. Toda felicidade do mundo, você merece meu amigo.

    ResponderExcluir
  13. Boa noite querido Alexandre,

    Quase na Páscoa, não é verdade?
    A viva e não a comemore, simplesmente, comendo chocolate.

    SANTA PÁSCOA.
    Beijos Pascais de luz.

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!