20 de novembro de 2010

A travessia




Os dois irmãos, discípulos do mestre, mal se falavam. Estavam brigados e ambos guardavam mágoas um do outro. O mestre para resolver isso, resolveu passar uma tarefa para cumprirem. Chegou até eles e pediu para cada um colocar uma mochila cheia de pedras na costa e atravessarem a nado o lago da colina, que ele estaria esperando do outro lado. Os dois então encheram suas mochilas com pedras e prepararam-se para atravessar o lago. O mestre estaria esperando na outra margem e com certeza daria um prêmio a quem chegasse primeiro. É o que achavam.

Demonstrando então sede de vitória, partiram. No início eles suportaram bem todo o peso, mas no decorrer da travessia era nítida a dificuldade que eles tinham em nadar carregando aquelas pesadas pedras. Foi então que em pouco mais da metade do lago, o mais velho começou a afogar. E quando via o mais jovem à frente, se desesperava. Mas o mais jovem não estava com vida fácil também. Mesmo à frente, ele acusava dores e fadiga intensa. Ele começou a afundar também, mas diante da possibilidade de perda da vida, ele abriu mão da competição e largou as pedras. O mais velho não teve a mesma atitude e afundou.

O mais jovem então, sem as pedras teve tranquilidade para continuar nadando. Mas ao virar seu rosto, ele não viu o seu irmão. Ele olhava para ambos os lados e nada. Esqueceu-se de ir para a margem e mergulhou em busca do irmão. Não demorou muito para encontrar o mais velho se debatendo no fundo, com a mochila nas costas ainda. Ele então jogou a mochila de pedras no fundo, e o resgatou. Chegou à margem do outro lado totalmente cansado, mas trazendo consigo seu irmão, que não estava desmaiado, mas bastante abatido.

Depois dos cuidados e de se recuperarem, os dois se abraçaram. O irmão mais velho agradeceu ao mais novo. E ambos pediram perdão um ao outro. E fizeram as pazes. Ali de perto o mestre presenciava tudo, com a seriedade de sempre. Aproximou-se deles e fez silêncio. Ao verem o mestre, os dois irmãos pediram perdão para ele por não terem conseguido cumprir a tarefa da travessia. O velho mestre sorriu, e disse solenemente que, ao deixaram as pedras no fundo do lago, eles cumpriram a mais importante de todas as tarefas. Os dois irmãos entenderam então o significado da travessia com as pedras e jamais brigaram um com outro. As mágoas ficaram no fundo do lago. Para sempre!

 

 


Aspas do Autor: Não dá para carregarmos um peso que aos pouco pode nos matar. Os irmãos desta história guardavam mágoas um do outro, mas a travessia no lago os ensinou a jamais guardar mágoas. O mais velho demorou a entender, tanto que quase foi morto por elas. Mas já na margem compreendeu que um dia elas podem te destruir. Na vida só alcançamos certos lugares quando largamos as pedras que pesam as nossas costas.  Um grande carinho à todos.

16 comentários:

  1. OLA ,ALE
    TEXTO PARA REFLETIR
    OTIMO
    SEM CONTAR QUE MAGOA NOS
    TORNA UMA PESSOA ENFERMA ,AMARGA E DEUS NAO QUER ISSO DE NOS
    O LEMA E
    AMAR AMAR E AMAR
    ABRAÇO

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto rapaz.

    abraços
    de luz e paz

    ResponderExcluir
  3. ALE querido! esse texto me fez refletir tanto de coisas que ja aconteceram a mim mesma, mais que ja foram superadas e me fez acreditar ainda mais, que amar ao próximo é o mais puro sentimento que devemos ter na vida assim como jesus fez por nós nós amou e até hoje nos ama por isso deu sua vida por todos nós... lindo texto ale... abraçossss...

    ResponderExcluir
  4. Guardar mágoas, não pedir desculpas, sempre parece ser tão mais fácil, não é mesmo?
    E talvez seja realmente mais fácil do que se render e erguer a bandeira branca, já que esta exige um fim ao orgulho. Mas penso que guardar rancor pesa a alma e, por mais que seja difícil pedir perdão, é tão bom se reconciliar, ter a amizade do outro novamente.
    Belíssima lição.
    Gostei muitíssimo do modo como narrou a história e do modo como você comparou as pedras com as mágoas, as quais devem também ficar no fundo do lago.
    Mil beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi,Alf!Nossa que texto lindo!Que deixemos as pedras no fundo do lago e sigamos em frente com a certeza que o perdão é sempre a melhor saída.
    Uma ótima semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Verdade, Alê! Carregar tanto peso nas costas só nos faz definhar a cada dia, nos enfraquece, nos envelhece a alma. Feliz de quem percebe que apenas largando essas coisas inúteis pelo caminho, é que podemos correr atrás da felicidade!

    Um beijo, querido!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Que lindo... Parece um daqueles ensinamentos budistas. É verdade isso mesmo: mágoas e ressentimentos às vezes se parecem muito com mochilas de pedras, pesadas e fáceis de serem descartadas, mas que às zes insistimos em nos apegar...

    Pra que servem as mágoas afinal? Só pra nos afundar mesmo, pois não fazem a mensor falta..

    Beijos, ótimo texto!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ale,

    Uma bela analogia, uma lição de vida. Nada mais pecisa ser dito.

    Beijo meu
    Bom final de semana

    ResponderExcluir
  9. E alimentar mágoas, não faz bem a ninguém. Mas a gente sempre quebra essa "regra". O melhor de tudo é assumir que estamos errados e preservarmos as pessoas que sempre estiveram ao nosso lado. E quanto as outras... quem são mesmo? rs

    Adorei, Alê. Como sempre.
    Tenha uma ótima semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Alê!!!

    Que perfeito!!

    As mágoas que nos percorrem a alma, nos fazem pesar feito chumbo.
    Vamos então esvaziar o peito de amargura e encher de ternura.

    O mundo é mais bonito, quando podemos nos sentir leves....

    Um beijo meu amigo!!

    ResponderExcluir
  11. Incrível como seus textos são reflexivos e intensos!
    adooro!

    beijo meu pra ti!

    ResponderExcluir
  12. Que texto fantástico!Você sempre nos faz refletir um pouco mais.. A mágoa só nos traz problemas, mas Deus nos ensinar a perdoar e amá-lo.. Existe um versículo na bíblia que diz assim:
    Se alguém disser: «Eu amo a Deus», mas tiver ódio ao seu irmão, esse é um mentiroso; pois aquele que não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. E nós recebemos dele este mandamento: quem ama a Deus, ame também o seu irmão."
    João 4: 17-21
    Um ótimo Fds.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. ALF, incrível. Você sempre com textos que fazem todos refletir...
    E todos deveriam seguir o exemplo dos irmãos, esquecer os problemas e deixá-los no fundo do mar, e começar do novo, sem nenhuma bagagem...

    Parabéns!!!

    E que bom que voltou com a internet, repito, não conseguiria.

    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  14. Guardar rancor não é legal, nem saudável. Tive essa experiência com a minha mãe e eu mesma posso atestar isso.

    ResponderExcluir
  15. E esse me arrancou sinceros sorrisos.
    É preciso que nos livramos das pedras que carregamos, que pouco a pouco nos puxa para o fundo. Muitas pessoas apenas se preocupam em completar tarefas por mais que isso as mate por dentro e destrua os outros. Devemos sempre olhar para o lado e ver quem precisa de ajuda, não para carregar o peso das pedras, mas para eliminá-lo.
    Texto bastante reflexivo e encantador. Muitíssimo bem escrito.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Tanta coisa que eu queria jogar no fundo de rio... vc irá brigar comigo... mas, não sou forte e sábio como vc!

    beijos, Alexandre!

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!