9 de janeiro de 2010

Um amor difícil





Eu nadaria oceanos para ser capaz de te ver, 
e pularia um abismo para poder te encontrar, 
Escalaria montanhas para ter você, 
e satisfazer o meu mais doce anseio: te amar. 


Não quero um amor fácil. Quero um amor difícil. Que me faça correr quilômetros, nadar milhas de extensão e andar na escuridão sem ao menos fraquejar. Quero um amor difícil para que eu aprenda a voar e que me permita ficar sem respirar sem ter que realmente morrer. Que seja difícil a ponto de me obrigar a lutar, desbravar e vencer obstáculos, subir muros e pular abismos. Não quero que esse amor seja simples de ser e entender, nem fácil de respeitar ou compreender. Quero um amor complicado para que minha alma se sinta incentivada a procurar entender, e buscar formas de torná-lo simples e compreensível. Quero acima de tudo que esse amor me faça aprender a respeitá-lo. Que pra isso eu possa progredir e melhorar como ser humano. Quero um amor que me faça esforçar por ele. Quero que valha a pena cada esforço realizado.

Porque eu quero um amor para que eu possa lutar por ele. Um amor que me faça compreendê-lo e amá-lo. Um amor que me dê força pra superar medos, grandes distâncias ou mesmo preconceitos. Quero um amor pra conquistar nas dificuldades. Quero torná-lo mágico, verdadeiro e lindo pela luta que será travada. Pelo esforço em que me dedicarei e que jamais me fará desistir. Quero um amor pelo qual eu possa enfrentar tempestades e terremotos. Quero um amor que seja resistente, que seja teimoso, pacientemente amoroso, e meio insano.

Não quero que seja comum ou simplesmente normal. Quero algo diferente, único, que me surpreenda, me envolva e me fascine pelo mistério, ou por um doce veneno. Não quero um amor perfeito. Quero que seja imperfeito mesmo. E que eu possa aprender com suas imperfeições e corrigir as minhas. Para que eu, com as minhas imperfeições, faça esse amor corrigir as suas. Não importa que tenha muitos espinhos, se por cima deles pairar uma flor doce e fragrante. Não importa que meu amor tenha manias, se uma dessas manias for eu. E que seja um amor discreto, mas ao mesmo tempo desvairado, feliz e sem pudor. Não importa que me leve à loucura, nem me deixe de torpor. O que importa é estar do lado desse amor.

Quero um amor difícil. Quero um amor que fale pouco, mas extravase mais. Quero um amor que grite e me prenda, me alerte e chame a atenção. Quero que tenha pressa e ciúme. Quero que tenha muito ao invés de pouco. Quero que seja intenso e ame muito. Quero que sonhe e viva muito. É preciso que seja um amor exigente, com vontade de ser feliz. Quero um amor que seja feliz do jeito que costuma ser. Não quero um amor que mude por mim, nem eu por ele. Quero um amor que mude um pouco por nós. Mas que isso não tire a liberdade e o jeito de cada um. Que isso não interfira no seu modo particular de ser. Mas que apenas aprenda a conviver em dois, havendo respeito e sentimento mútuo.

Quero um amor que me escute. Que se delicie com meus versos e meus presentes de amor. Um amor que tenha um gosto delicado, um ouvido sensível para ouvir meus sussurros de poesia, minhas canções de apaixonado. Quero um amor que aprenda a conviver comigo e que esteja sempre do meu lado. Quero partilhar com esse amor todo tipo de vivência e emoção. Estar sempre do lado, em prantos de alegria ou tristeza, em gritos de vitória ou de derrota. Quero estar do lado até nos momentos solitários, como uma estrela no céu, ou um sol no horizonte. Quero um amor companheiro, presente no ausente. Quero um amor até além do fim, que reflita no meu sorriso e conviva dentro dos meus olhos.

Quero um amor difícil de prever, mas fácil de admirar.
Quero um amor difícil de evitar, mas fácil de abraçar.
Quero um amor difícil de esquecer, mas fácil, extremamente fácil de amar.






Aspas do Autor: O modo como se conquista, busca ou se deseja  um amor é bem particular. É claro que a dificuldade não se aplica em todas as ocasiões. Nem o fato de ser difícil ou fácil significa menos ou mais amor. Acho que o que se aplica é a vontade pessoal ou mesmo destino. A busca comum em amar. Independente da forma como seja. Seja pulando abismos ou cruzando uma rua. A luta por um amor é uma coisa de caráter individual. A dificuldade está nos temores de cada um. E isso varia de pessoa pra pessoa. Pra mim deve valer a pena buscar esse amor, independente de tudo que me separa dele. Ao menos uma coisa é mútua a todos: amar. Esse é o verdadeiro objetivo. E que seja sempre assim. Meu afeto a todos que me visitam.

6 comentários:

  1. Alê (Posso assim chamar?;)

    Sabe, suas linhas me lembram uma música da antiga banda Rádio Táxi, conhece? É uma música que eu acho linda, e chama-se 'Feito pra durar'.

    Tem um trecho que diz o seguinte:

    "Eu quero um amor no cio,
    Pra encher o vazio do meu coração.
    Eu quero viver meu sonho e
    dentro dele tudo que eu tiver direito.
    Eu quero um amor sem tamanho,
    De um jeito que caiba dentro do meu peito.
    Eu quero um amor que venha me trazer o vento quente do verão.
    O fogo pra queimar a lenha,
    Que me pegue em cheio como um furacão..."

    E eu também quero um amor difícil. Não por algo dimensionado, como vc tão bem citou, de ser menos ou mais amor, mas por ser algo conquistado. Por ser meu, senti-lo meu.
    Não quero um amor moldável, quero algo que, mesmo sem as formas ideias, considere-se capaz de ser, e de me fazer, um encaixe (im)perfeito.

    Assim quero, assim vai ser.


    Suas palavras foram tão verdadeiras, tão lindas, que não há como não ficar verdadeiramente emocioada.

    Obrigada, viu?

    Um beijo, imenso.

    Ps: Obrigada você pelo carinho, e saiba que ele lhe é recíproco. O caminho pra cá não é preciso nem de mapas, pois a essência dele já me convida de uma forma irrecusável.

    Ps²: Sou meio confusa às vezes, mas espero que tenha entendido. Perdoa, sim? rs.

    ResponderExcluir
  2. gostei muito do texto. acredito mais no amor imperfeito. por que não existe pessoas perfeitas.

    ResponderExcluir
  3. Você foi no ponto, Alf: "Um amor presente no ausente"!
    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  4. Alexandre, primeiro mto obrigada pela sua visita e pelo seu comentário lá no blog, fiquei felzi com suas palavras.

    Menino,que texto bonito. Achei legal esse amor que você quer. Mas pra mim como diria cazuza - eu quero a sorte de um amor tanquilo. Talvez porque eu já tenha lutado tanto por amores que estavam presentes só dentro de mim, ausente no outro, sabe como? Quero um amor fácil. Um amor fácil mas não cômodo.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Eu [achei que]vivi um amor assim... Estava disposta a enfrentar tudo por ele.
    Pena que briguei sozinha.
    Hoje tô como a Luana e o Cazuza.

    Lindo seu texto.

    Beijo doce!

    ResponderExcluir
  6. Eu sempre quis um amor dificil, e acabei encontrando... é bom e bem dificil mesmo. De alguma maneira o complicado sempre me atrai.(rsrsrs)

    Muito bom, vc escreve muito bem!
    Beijoos'

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!