1 de novembro de 2008

Pequena Sunshine

Parte I



Sunshine on my shoulders - makes me happy
sunshine in my eyes - can make me cry
sunshine on the water - looks so lovely
sunshine almost always - makes me high

(John Denver - Sunshine on my shoulders)



Era o prenúncio do fim. Ela Sabia. No alvorecer daquela noite, quente e assustadora, os raios esbravejavam tanto seu terror na Terra de Inocentes, que fagulhas de incredulidade e espanto preenchiam corações inquietos, deixando-os aflitos e angustiados. A magnitude da explosão dos pesadelos aterrorizou os poucos puros de coração. O cheiro de dor se espalhava pelo céu a uma velocidade inimaginável. Rios de pecados transbordavam pelas margens escondidas das almas que se diziam limpas. Na Terra de Culpados, poucos foram o que não sentiram um conforto no coração. As dores sumindo, e o sorriso se formando.

Nesse tormento anunciado, em um lugar distante, onde jamais ninguém foi e nem conhecia, só era possível, do céu, contemplar duas mãozinhas juntas, umas poucas palavras doces e os joelhos no chão. Seu corpo estava trêmulo de frio, sendo massacrado pelas gotas de ferro caindo do céu. Seus olhos se debruçavam sobre lágrimas transparentes de doçura e compaixão. Eram dois olhinhos azuis de estupefação, ante o macabro baile que era visto no céu, e que ela sentia na pele. O início da tempestade a fez correr até ali, parar e se ajoelhar. Não queria aquilo, mas sentia que o momento chegara. Não se conhecia ser com coração tão puro e tão ausente de maldade. Então conversou consigo e pediu ao seu coração que aquilo acabasse, antes que sofresse mais.

Ela era uma menina doce. Toda vez que necessitava, e por impulso, conversava com o seu coração, que sempre a escutava. O curioso é que se referia ao coração como Ela, e não a tratava como Ele, mas como um ser feminino, uma amiga interior. Dizia, ainda, que ela respondia à suas preces e despejava dentro dela uma luz de tamanho incomparável. E sempre foi assim. Quando sentia dor, parava e solitariamente se encontrava e conversava com a sua Pequena Sunshine. Era assim que chamava seu coraçãozinho puro. Definiu assim porque toda vez que precisava, ela iluminava a escuridão da sua alma, como uma luz do sol raiando no horizonte. Era espontânea, sincera e não acreditava em Deus, não naquele Deus que lhe apregoavam, acreditava apenas na Pequena Sunshine, no coração puro e envolvente dentro de si. Para ela, era o verdadeiro Deus, o que simbolizava amor.



Muitos não compreendiam sua forma tão doce de ser, nem na sua crença. Quando a perguntavam sobre Deus ela respondia:
- Eu acredito apenas na minha Pequena Sunshine. Acredito que quem está por cima de tudo é o coração. Acredito que tudo que nos cerca é fruto do amor da Pequena Sunshine. Ela é tão mágica, que existe dentro de cada um, sustentando nossas vidas.
Quando questionada sempre respondia à altura:
- Nosso destino é o coração. Como o sangue que corre dentro de nós.
Não se conhecia ninguém que pudesse dialogar com ela. Algo, indiscutivelmente as deixava mudas e as desarmava. Não sabiam explicar. Ela tinha uma doçura tão infinita e um semblante tão puro e inocente, somados a argumentos tão mágicos, que ninguém era capaz de reprová-la. Ela tinha uma visão extraordinária, para alguém da sua idade. Os mais religiosos ficavam estupefatos com os seus conceitos, tão profundos.

"Quando morremos nos tornamos Pequenas Sunshines", dizia ela, de maneira fascinada e sorridente. Por isso jamais tinha medo da morte. Sabia que depois iria ser o coração de outra vida. Ela achava maravilhosa a idéia de ser o sustentáculo de outra alma humana. E caminhava assim, todo dia, colocando toda a sua esperança e sua fé na doçura e ternura do coração, da Pequena Sunshine, como ela carinhosamente chamava.

Encantava a todos com o seu jeito meigo de rir, e de falar tão afetuoso e melodioso, juntamente com toda a sua sensibilidade tão evidente e sincera em cada gesto. Ela amava todos sem distinção. Perfumava os locais por onde passavam, com seu perfume natural e fragrante de morango suave. As pessoas que a conheciam, amavam verdadeiramente. Sua presença irradiava uma paz imensa e uma segurança sem igual. Ela parecia ter uma luz envolvendo-a. Uns acreditavam sentir nela, a pura essência do amor.

Mas sua vida tomou um rumo diferente, quando um dia, em sonho, tomou consciência de algo que aconteceria com ela em breve.


Continua...





Aspas do Autor: Essa história tomou um rumo tão grande dentro de mim que vocês sequer imaginam. Eu mesmo me emocionei com a maneira como consegui desenvolver a história e seus significados. Espero que estejam gostando. Na segunda parte vocês conferem o desfecho. Meu carinho à todos que docemente me visitam.

28 comentários:

  1. Alf, meu querido, estou aqui refletindo sobre esta tua história que está me parecendo de enredo fantástico, haja vista esta primeira parte que nos dás a conhecer onde elementos como coração e sol estão a protagonizar uma narrativa tão cheia de simbolismos ressaltados com sensibilidade. Sei que vem por aí um desfecho que nos inundará a alma de sentimentos e emoções dos mais profundos significados.

    São belos os versos da música que abre tua postagem, assim como toda ela, que marcou uma época. É linda a letra como também a música, de uma suavidade que nos enternece.

    Gostaria de dar-te uma sugestão, meu anjo, a de colocar um player no teu blog. Acho que ficaria bem legal se tivesse música por aqui. É apenas um registro, pois acredito que já tenhas cogitado isto também. Tenho um amigo que diz não colocar no dele porque tira a concentração de quem lê, e como ele é muito 'vaidoso' não quer dividir a atenção dos leitores/amigos com ninguém, nem mesmo com a música que ele diz tanto amar... rs.

    Tua presença no meu espaço, bem sabes, deixa-me sempre um rastro de luz. Tenho certeza de que em breve surgirá na tua vida um outro amor, tão forte ou até mais do que este que te marcou tanto. Tens apenas 22 aninhos e outros amores hão de surgir até que apareça aquele que há de te completar e te fazer feliz e que há de te ensinar o verdadeiro sentido da frase 'amor eterno'. Sabes que torço para isto, meu anjo!

    Te deixo um lindo raio de sol (uma verdadeira infestação de 'sunshine' por aqui... rss), que está brincando na janela do meu quarto e que te mando na certeza de que, acomodando-se no teu coração, te trará um dia lindo, colorido, perfumado, e até quem sabe, com a promessa daquele amor... rs.

    Te adoro, meu querido!

    ResponderExcluir
  2. Alf,

    Que início de conto doce. Até sinto o gosto na boca do doce-amor. Imaginei um ser tão leve, meigo e afetuoso. Imaginei sorrisos, vozes e lugares todos. Estou aqui que não me aguento de vontades de continuar te lendo.

    Essa fé na "Pequena Sunshire" foi bonita a vida toda. E eu fiquei voando nas notas e pensando no porque não escuto minha Pequena Sunshire com mais frequência. Talvez o caminho seja esse.

    Mas me deixa aqui pensando, enquanto espero a continuação dessas suas palavras tão gostosas de ler.

    Beeeijo, querido!

    ResponderExcluir
  3. Opa! Estou esperando por mais. Gostei das imagens e do trecho da música ali em cima - música linda, essa.

    Abs.

    ResponderExcluir
  4. Estou a pensar ns significados implícitos na sua história. São muitos. Sao os seus, os meus e os de cada um que passar por aqui.
    Mas o mais importante que consigo ver na história, além da doçura, é a fé. Esta que não importa de onde vem mas que sempre impulsiona, sempre é luz no caminho de cada um!
    Vamos aguardar o próximo cápitulo, né? rs
    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Oi Alf,

    apesar de alguns conceitos fugirem daquilo que tenho como fé e crença - todas com base na bíblia, gostei da poesia e do açúcar tão próprios seu. Aguardo pelo desfecho!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Se te faz bem escrever tudo assim , no que vai fundo da alma, é porque o texto vai ficar belo também.

    ResponderExcluir
  7. Poxa,ALF,espero que não demore muito pra continuar,rss

    Boa semana!

    Abração!

    ResponderExcluir
  8. Espero que a segunda parte nao seja o lado sombrio, aquele em que insiste com que acreditemos que nao existem as ´pequenas sunshine`.

    Quanto ao player por aqui, acho que cada um tem um gosto, eu por exemplo tb acho que tira a concentracao da leitura.
    Mas se é do teu agrado mostrar mais esse lado sensível da tua alma através da música, como vc tb aprecio e assino embaixo!

    Um bj meu querido.

    ResponderExcluir
  9. Eu tb adoro finais felizes, mas nem sempre na vida é assim, infelizmente.
    Se o final nao fosse dos mais felizes, eu estaria apenas constatando esse lado da vida, o qual nem sempre escolhemos.

    Bjoca

    ResponderExcluir
  10. hum... li a primeira vez e entendi de um jeito... li a segunda e entendi de outro. vou ler a terceira...
    beijocasssssssssssssss amigo. precisa falar de novo que seus textos são ótimos?rs...

    ResponderExcluir
  11. Ah..mas agora tenho que imprimir, sentar na minha cadeira de balanço e ler seu livro que acaba de nascer. Vê se não demora prá continuar a historia.
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi menino bonito(Mais por dentro,eu vejo agora.
    Obrigada pela visita lá no meu cantinho,pelo desbafo e o puxão de orelha.Mais sabe o q é?Eu sempre generalizo.Mesmo sabendo que pra toda regra há sempre uma exeção,mais eu sou assim(eu falo demais rs)
    Fico feliz de verdade em saber que existem pessoas assim,de carne e osso como eu que também são sensíveis(Eu estava começando a achar que era so em novela que tinha gente assim.Fora eu,claro rs)
    Ah!É tão ruim quando a gente se magoa,se decepciona.Sim,porque eu sempre acredito no próximo(acreditava,pelo menos),que as pessoas podem ser boas...Eu não queria estar tão amarga assim.Mais estou,o que há de se fazer?

    Obrigada de verdade viu!
    Xero

    ResponderExcluir
  13. Ah!Só mais uma coisa...vê se para de mentir!!!rs
    Tu num tem só 22 não!Eu duvido!É maduro demais pra sua idade...
    Lindo texto,quando eu crescer quero escrever algo parecido!
    Xero

    ResponderExcluir
  14. escrevendo sempre bem hein amigo...
    uma sensibilidade incrivel...
    parabéns!

    beijos!

    obr pelas bonitas palavras no coment...saiba q adorei t conhecer tb...

    e qdo volta a Bahia?

    beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  15. Nossa...
    Estou a pensar sobre o texto...
    Gostei dos versos que iniciam o post...
    Estou ansiosa para ver como continua...

    Gostei muito daqui, virei mais vezes...
    Vi o seu link no blog da Loba.
    Beijossss

    ResponderExcluir
  16. Que linda história, muito bem escrita, ah e vc já tá linkado, ótima semana pra ti..8)

    ResponderExcluir
  17. Quero ler logo a segunda parte *-*
    Achei perfeito o jeito suave que você descreve o jeito da menina e todo o sentimento dela...
    Amei.
    Acho que todos nós deveriamos saber achar uma luz dentro de nós, uma ultima esperança dentor de nós quando precisamos.
    Com certeza voltarei para ler a continuação, e muito mais :)

    Obrigada pela visita.
    Estou te linkando.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. "Quando morremos, todos nos tornamos Pequenas Sunshines"

    Amei!! Não tenho outras palavras...

    Beijos :)

    ResponderExcluir
  19. Ansiedade. Descobri o que seus contos provocam em mim. Na maioria das vezes, detesto histórias incompletas, mas aqui voltarei para ver o fim.
    Beijoooos. Te adoro.

    ResponderExcluir
  20. Alf queridooo,

    Vim agradecer pelas suas doces palavras lá no meu canto. Suas anotações por lá são sempre tão bem recebidas. Fico com sorrisão no rosto depois de ler seu passeio. Obrigada por tanto carinho comigo. Recíproco essa admiração.

    Beeeeeijo meu! =)

    ResponderExcluir
  21. Olá!

    Voltarei para ler o desfecho. Gostei muito daqui.

    Um abraço..

    ResponderExcluir
  22. eu quero a segunda parte pra eu fazer um comentário só... mas saio daqui aos risos, eu saio!

    ResponderExcluir
  23. Alexandre,

    O texto, sem dúvidas, é lindo. Carrega uma emoção daquelas que só poderiam partir de você, e mais ninguém. Uma coisa intensa, grande, que vai explodindo por todos os lados uma ternura bonita. E leve - apesar do tom um tanto pesado em algumas partes.

    Agora, eu discordei horrores de umas boas passagens. É que feriu alguns conceitos meus. Coisas que vêm arraigadas já, de uma vida inteira. [E você bem me avisou que eu poderia sentir isso durante a leitura]. E eu senti. Discordei geral. Não deu pra conceber determinadas idéias posicionadas no texto, por exemplo: acredito piamente que quem está por cima de tudo, é Ele. Tudo o que cerca, é Ele. Fruto do amor Dele, e pronto. Talvez isso, essa minha crença fechada e indisponível a enxergar de jeito contrário, tenha me impedido de alcançar o mesmo sentimento teu, durante a escrita. Talvez tenha me desviado dos efeitos da Pequena Sunshine, e seu amor enlaçado. [Em mim, não tem dela. Tem Dele - que me sustenta em seu amor].

    Desencontros a parte, a poesia que você construiu é merecedora de aplausos, rapaz. A menina, é uma flor. Essa idéia toda que foi tomando dimensões que até você mesmo desconhecia, carrega a promessa de voar lugares muitos. E eu nem posso com isso de ficar aguardando finais. Me faz mal essa espera, pessoa ansiosa que sou. Rs. ¬¬

    Eu volto, pra conferir o desfecho desse conto bonito [e controverso - em mim, pelo menos].

    Uns beijos.

    ResponderExcluir
  24. Adorei a história, é daquelas do tipo que me tiram suspiros... e que eu sinta em breve como ela "sua vida tomou um rumo diferente, qd um dia, em um sonho, tomou consciência de algo que acoonteceria com ela em breve.

    Beijos e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  25. Personagem delicada e sensível, senhora de postura a emanar o amor.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  26. Agora eu só vim justificar, amanhã eu venho ler.

    Alf, é que, ás vezes, eu leio um blog só pra comentar, mas aqui eu não consigo. Tenho que parar tudo pra ler com o coração mesmo. Pois o que tu escreve nunca dá pra ler e sair. É sempre algo que me faz pensar e parar e só então, comentar. Por isso não posso ler a qualquer momento. E é por isso que ainda não li, pois, essa semana está meio turbulenta, sabe? E eu tô com a cabeça a mil... Mas amanhã, independente de tudo, vou parar para me deliciar nessa história que, mesmo antes de ler, sei que vou amar muito. Como amo tudo o que escreves.

    Eu precisava me explicar, viu?
    Um beijão

    ResponderExcluir
  27. Perfeito!

    "Pequena Sunshine"! Difícil uma descrição melhor! E simples, como só uma criança poderia ser. Parabéns!

    Olha que coincidência, também estou escrevendo uma história no meu blog! Passa lá pra ler! De minha parte, com certeza voltarei para ler o restante e o que mais tua sensibilidade construir!


    Grande Abraço!

    ;-)

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!