13 de setembro de 2008

Sublime Exílio




















Do que adianta tentar,
se nem sei falar...
O que seria possível?
Se nada me faz te achar...

Que luz é essa
que estás a me cegar?
Vivo no escuro mental
e no branco total.

Sei que estou a ficar preso,
agarrado em tem seio,
disforme em seu colo,
belo nesse anseio.

Fico a pairar,
num exílio, sem amar.
Procuro-te muito,
mas não sei poetar.



----------
Aspas do Autor: Um poema que extravaso uma ponta de tristeza indefinida. Na premissa de que deve existir algo pra inspirar cada linha escrita. E nessa aparente solidão, é que se torna possível encontrar um estímulo pra escrever. Coisas de poeta. Por isso sublime.

9 comentários:

  1. Que lindo poema!
    Ás vezes a solidão aparece.
    Dói. Machuca. Mas, por algum motivo, eu goosto quando ela aparece. Ou melhor, gosto algumas vezes, quando estou cheia de pessoas, de tudo ao redor, então ela aparece e me leve pra tranquilidade, pra solidão mesmo... Vai entender... Outras vezes, ela machuca tanto...
    Coisa de poeta? Vai saber...

    Beijão pra tu

    ResponderExcluir
  2. Tbem não sei poetar,mas acho que minha busca acabou,rss

    :)

    Boa semana,ALF

    ResponderExcluir
  3. Poema agradabilíssimo, ai q inveja!
    Mas, um toque: Substitua o "poetar" do ultimo verso por "poetizar".
    Um bjao.

    ResponderExcluir
  4. Poetou de maneira linda!!!

    Tem mimo pra você no meu blog ;-)

    Beijo e mais beijos...

    ResponderExcluir
  5. me vi em cada palavra, em cada verso e em cada estrofe do seu sublime poema!

    te presentiei com um selo, caro Alf (y'

    abraços
    ;)

    ResponderExcluir
  6. Sei muito bem o que é sentir essa solidão.

    Abs e um lindo poema que ficou no meu coração!!!


    Marcos Seiter

    ResponderExcluir
  7. Alf, que belo apesar de triste! E que ache. E que sinta. E que viva.

    ResponderExcluir
  8. Alf,

    não gostei do poema. Achei fraco.
    Mas o sentimento que o fez escrevê-lo deve ter sido triste, forte e indefinido. E essas "coisas" que mexem com nossas fibras são difíceis de encarar. Eu que o diga...

    Abraço,

    Calebe

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!