Enquanto houver poesia

20 de janeiro de 2024

Foto: Aaron Burden

Enquanto houver poesia
segredam-me os versos
do afeto que lhe guardo
[em mim]

Enquanto houver palavras
alertam-me as rimas
da afeição que concedo
[para ti]

Enquanto houver desejo
revelam-me os olhares
do amor que lhe dedico
[sem fim]

Enquanto houver tempo
anunciam-me os dias
da sua perpétua presença
[aqui]



Aspas do Autor: enquanto houver esperança, sempre estarei presente, sim.

Um comentário:

Wendel Valadares disse...

Enquanto houver o teu olhar atento e o teu coração sensível, seremos abraçados pela beleza da tua poesia, meu amigo.

Que bela maneira de voltar ao blog, hein? Amei! Amo quando você faz poesia, ou seja, sempre!

Te abraço.