Laços de Calor

20/06/2020



Fui liquidificado pelo seu toque anestésico, seu olhar cataclísmico que aniquilou os delitos do meu corpo descendente de dores passadas. Transcendi na imensa ternura que centelha de sua pele, armadilha de prazeres inefáveis, hangar delicado para minhas mãos lépidas e desejosas de amor. Faíscas de paixão se expeliram como antídotos para o doloso amortecimento que sua ausência era em mim. Tornei-me peça de encaixe nas tuas curvas, um escravo subjugado pelo seu precioso dom de sedução. Fui efervescido pela sua crepitação vil de doçura, feito refém em uma sauna que liquefez as vestes mais congeladas do coração.

Reagi ao toque, apreendido por correntes imaginárias que atiçavam meu desejo tão nutrido de ti, compondo-me refrão nessa melodia que retumba em teu poético dançar. O amor contorceu-se e enredou nossas delinquências em gestos de entusiasmada paixão; em uma ebulição que validava nossos laços tão unos. Fundi-me nas tuas texturas, pincelando meu corpo com o seu, como cores que se coadunam e elaboram novos tons, tornando-nos em um só. Fui enlaçado pelas tuas mãos lépidas que conseguiram tatear a escuridão do meu peito tão dolorido e solitário.

Elucidaste os segredos tão penetrados em mim, traduzindo e mapeando minhas angústias tão intencionadas a me amarrarem, sendo cura em meio à minha alma tão desabitada de amores. Tu trouxeste a resposta para meus anseios e as asas para meu corpo de anjo corrupto, relegado pelos demônios da solidão. De tanto que te declamei, emudeci. A realeza do nosso mudo amor prevaleceu quaisquer palavras ditas ao vento, e sagrou-se via poemas riscados em peles entrelaçadas, em rimas trepidadas com suor; em um amor certificado por nossos laços de calor – e amor.

Aspas do Autor: Trazendo algo mais intenso e diferente. Vez ou outra, a ousadia toma conta das minhas mãos.

3 comentários:

Carol Russo S disse...

Grata surpresa em ver que você está voltando a postar no blog, Ale!

Ótimo texto, repleto de delicadeza, paixão e fogo, todos na medida certa. E a clareza de detalhes típicas da tua escrita! Vou voltar mais <3

Beijo

Carla Dias disse...

Que bom você estar de volta por aqui, Ale. É um cantinho bom, né?!

Não some mais não, viu?! É sempre bom ler seus escritos por aqui. Adorei o texto.

Bjo!

Bandys disse...

Ola amado,
Calorão por aqui hein??
Você escreve divinamente.
Anjo corrupto.. hummm
Que o dia traga os retalhos desse amor
pra ser bordado com fios vermelhos de seda,
as lembranças tatuadas no avesso da gente.
Beijos daqui