9 de agosto de 2014

Da [per]feição sincera




"Era pra ser perfeito" - diríamos. "O problema sou eu e não você" - diria eu. Mas o desencaixe vai além de qualquer desculpa clichê. Ambos sabemos que polos iguais não criam energia - ou sinergia. Iludir-nos-íamos ao aceitar que a perfeição fosse possível quando tão longínquos, estamos um do outro. Tu és outono e eu primavera. Duas estações opostas. Estamos no mesmo planeta, mas quando o sol me ilumina, as estrelas te clareiam. Somos distantes até na rosa dos ventos. Você é norte, e eu sul. Se fôssemos, cada um, a face de uma mesma moeda, seria ideal: estaríamos colados um no outro. Mas sou cédula e você cartão.

No mundo, o que mais há são coisas distantes umas das outras. Até pessoas, sobretudo as propensas a se amarem. Mas o problema não é nenhum de nós. Afinal, perfeição [no amor] é algo inconcebível quando os olhos enxergam direções opostas, os pés seguem rumos contrários e em solos diferentes. Seus pés caminham sobre a dureza do concreto. Eu passeio na maciez da terra. Quando não é recíproco só há sofrimento gratuito. Não se mergulha [no amor] sem saber na[dar]. Não se faz discurso sem palavras. Não podemos viver juntos sem que nos amemos. Penso que felicidade no amor é andar de mãos dadas. E a gente nunca se deu de fato. 

Por fim, isentemo-nos de qualquer culpa. Vamos parar de protelar com desculpas do tipo: “Não era pra ser porque não era”, “O destino conspirou contra”, “Você merece alguém melhor que eu”, e sermos finalmente sinceros: nunca nos dispusemos um ao outro porque jamais nos amamos. Sem meias palavras.

Somos livres agora. Libertamo-nos de uma prisão sem sentido. Acredite, esta foi a maior generosidade que recebemos um do outro: a sinceridade. 

Por isso, desejo que sejas muito feliz. E assim, também serei. 
Adeus!



Aspas do Autor: Essa história é uma reflexão. Porque não ser realmente sincero às vezes? Sentimentos são preciosos demais para serem iludidos...

15 comentários:

  1. Eu já parei para ter essa reflexão infinitas vezes. Acredito que quando 'não era para ser' está relacionado a não conseguir amar. Porque acredito que se realmente há amor, não acaba.

    Belíssimo texto.
    Realidades Utópicas

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, pois essa soou uma reflexão intrigante. Gostei tanto do modo como usou as ciências para explicar o que poderia ser dito de forma tão mais piegas...
    E realmente é isso, às vezes caminhos precisam ser abertos, distanciados, vidas precisam se separar... E eis que temos que "fazer uma reflexão" sobre tudo!

    Parabéns pelo escrito.

    ResponderExcluir
  3. Porque não sermos sinceros de vez em quando? E porque não sermos sinceros sempre?! Exigir a perfeição sempre é uma chatisse, o que faz a vida ser boa é cada um poder fazer suas próprias escolhas, as brigas de vez em quando, as surpresas.

    DANCIN' OF DAYS
    http://dancinofdays.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Pensei que todo fim fosse doloroso de forma igual. Mas esse ponto final doeu um bocado mais. Triste ir sabendo que não teve amor.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Estou aqui matutando se isso não foi coincidência... Mas enfim... Triste saber, depois de algum tempo, que nunca houve compatibilidade de verdade. Acredito que (não) amores que terminam assim, estiveram juntos apenas iludidos pela colo dado à carência.
    Saudades daqui.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Acredito que não somos sinceros porque, de algum modo, precisamos amortecer a dor. Talvez seja apenas uma ilusão para nos consolar mais tarde.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Você escreve de uma forma que o texto flui interessante, mesmo que o tema não seja dos meus favoritos. Distância, polos, perfeição, liberdade. É uma escrita quase... Poética. Como vc faz isso? E vc faz até nos comentários: seus comentários sempre estão entre os meus favoritos de cada post rsrs

    ResponderExcluir
  8. Concordo!
    A sinceridade é a melhor forma para se construir ou desconstruir. Não acredito que exista o amor perfeito, o que existe são pessoas imperfeitas, que correm a mesma trilha e procuram dá continuidade ao percurso juntos.

    ResponderExcluir
  9. Fechou perfeitamente!! As pessoas inventam desculpas para tudo e estou buscando cada dia mais a sinceridade, mesmo que doa!
    Realmente.. isso de dizer que não são perfeitos um para o outro não existe. O que existiu foi falta de amor, de reciprocidade !!

    www.chadecalmila.com

    ResponderExcluir
  10. O sentimento só pode ser pleno quando se vive através da realidade. A sinceridade é o único caminho sensato para viver um bom relacionamento, mas também para seguir em frente e terminar com dignidade. A sinceridade até pode doer, mas os efeitos da ilusão são com certeza piores. Belíssimo texto. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Gostei do texto.
    Concordo e muito com cada palavra descrita, acho que deixa explicito a falta de sinceridade na maioria das pessoas, seja qual for o tipo de envolvimento com a outra...
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Alê,
    Cheguei!! Concordo com que essas desculpas são bobagens.
    Mas tambem acho que tudo tem um sentido um porque. As vezes o que nós sentimos não é o que o outro sente.Mas antes do amor acho que existe a paixão e é essa que não deixa enxergar o que esta se passando. E as vezes ate essa paixão é unilateral. Acredito que fatos assim servem de experiencias para vida toda. É difícil o raio cair no mesmo lugar. Um dia um adeus, tô indo embora.... e esse é o caminho certo. Tem pessoas que não merecem um grão de sentimento por distribuírem sofrimentos gratuitos.
    Bom acho que falei até demais, mas voce sabe que sou amiga até na lua, aquela mesma que nos fazem sonhar.
    beijos com carinho no ♥

    ResponderExcluir
  13. Muito bom Alexandre!
    Acho que você conseguiu expressar coisas que estão entaladas há muito em minha garganta. Não existe esse tipo de desculpa. Poxa, no caso de um término, ao menos respeito e consideração deve-se ter, pra dizer o que realmente aconteceu. Ficar com frases clichês, só mostra a imaturidade na relação. Assumir o que cada um realmente quer, já é um grande passo.
    Não há diferença que faça chegar ao fim um amor sincero. Porque se ambos sempre forem iguais, não terá como complementar.
    Enfim, deixemos de hipocrisia e digamos o que há de verdade.

    ResponderExcluir
  14. É fácil demais encontrar no outro o oposto de nós para poder fugir do compromisso com o sentimento que criamos.

    ResponderExcluir
  15. Seu texto é lindo, poético, doce e claro, banhado de melancolia. E apesar de tudo ainda nos resta pensar que: melhor assim, mesmo que doa. Melhor a dor agora do que uma vida inteira de ilusões, melhor a verdade do que uma vida inteira de mentiras. Melhor agora, enquanto ainda há tempo de se recuperar, de encontrar amor sincero, de ser feliz de verdade.

    Grande abraço. Alexandre.

    eraoutravezamor.blogspot.com
    semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!