Todavia

15/03/2014




Eu
a via
enquanto
ia
[e me entristecia]

eu
havia
sido
alegria
[era só euforia]

eu
vivia
numa
via só de
poesia
[agora sofria]

mas
ainda
havia
amor
em mim
[todavia]



Aspas do Autor: Há amor, ainda, em mim...

9 comentários:

Camila disse...

Intenso..
até parece que escreveu sobre mim sabia?? *-*

www.chadecalmila.com

Unknown disse...

Adorei! Tão profundo e simples e emocionante. Eu realmente amei, nem tenho palavras para dizer, é tão bonito, tocante e perfeito. Não tenho mais adjetivos á altura que descrevam o que eu li. Quanto talento! haha, queria ser assim.
Enfim, seria muito legal se você visitasse meu blog.
Pode fazer isso?
www.biblioteque-se.blogspot.com
beijos, bia

B. disse...

Muito lindo. Doce e sofrido ao mesmo tempo. Adorei o jogo de palavras e acho que você explora a poesia de forma bem encantadora.

Mayra Borges disse...

E quando tudo vai embora que ainda nos reste amor, sempre. O que seria de nós diante de todas as pelejas da vida se não fosse o amor?

Alexandre, sempre escrevendo bonito, e transbordando a gente de sentimentos.

Beijo grande, moço.

eraoutravezamor.blogspot.com
semprovas.blogspot.com

Cristiano disse...

Mas se existia amor, porque vc estava entristecendo?

Viviana Ruiz disse...

Ai, que lindo! Tão eu hoje. Me traduziu infinitamente. Amei mesmo. Que delicadeza é essa, menino!?

Mari Mari disse...

Uma poesia inspiradora, e com estilo inovador. Eu poderia querer mais?

Bandys disse...

Lindo!! E tem que haver sempre.
As vezes pensamos que é ate gonia mas é pura
teoria.
Há harmonia em nós.

beijos

Manu Lima disse...

As vezes acaba para um, mas o amor permanece no outro.
Triste e belo.

Beijo

http://manuellamontesanto.blogspot.com.br