27 de outubro de 2012

Não sei o que é amor





Nunca soube...


Não sei o que é amor. Não sei o que é aquele furor que domina meu peito, aquele vento que surrupia sorrisos brandos no meu rosto. Nem mesmo sei o que é aquela relíquia que brilha distante no fundo castanho dos meus olhos, o tesouro que se perde e se encontra na medida em que sofro ou me felicito. Não sei o olhar, não sei o calor que efervesce meu peito com sonhos aveludados, redecorados pela fé viva que se renova a cada segundo.

Não sei o que é amor, nem mesmo a paixão que por vezes despetala minha flor interna, a tempestade de doçura que aplaca as mazelas do meu ser. Não sei do sopro frio, do toque febril que me açoita com delicadezas, com alegrias repentinas, desejos intensos e arredios. Não sei do amor que tanto poetizam, tanto sonham e que tanto fabricam castelos dentro das pessoas. Não sei como se dá a engenharia do meu ser. Não sei do sentimento que se enviesa dentro de mim e floresce em bailes de espontaneidade.

Não sei o que é amor. Não sei da elegância que me rodeia. Nem sei destrinchar os segredos belos que pincelam os contornos da minha alma ávida por sensações raras e de teor inigualável. Desconheço as epifanias, os suspiros quentes de prazer da minha alma fluída nos encantos assimilados ao longo do tempo. Não sei do amor, da melodia e do júbilo que se propicia no leito da minha alma. Não sei da força, do sentimento que se vocifera pelos quatros cantos de mim. 

Não sei o que é amor. Não sei como é a magia que decora meu céu com enfeites de encanto e cintilações de amabilidade. Não sei do abraço forte, do semblante apaixonado da face, nem dos pelos eriçados com o magnetismo puro dos sentimentos. Não sei do quão sedento por felicidade é meu coração, o quanto as palavras regurgitam a profunda emoção que se enfeita dentro de mim. Não sei da brisa sonante, do baloiço apaixonante em que a alma se entrega. Não sei do amor. Não sei de nada.

Não sei do amor que julgo sentir. Não sei a exata forma do dote poético que veste o meu ser com películas translúcidas de sublime exultação. Não sei do afago, do carinho que remansa no berço do meu colo, refastelado nas texturas macias do meu colchão interno. Não sei do balaio que transporta meus sonhos mais sensíveis, meus anseios mais nobres e ternos. Não sei do arroubo que a vida me dá, do jeito manso de me enlaçar com seus feitios doces e apaziguadores.

Não sei do amor, de tudo o que se expele pelo meu jeito transparente de me mostrar humano, um legítimo embaixador de princípios abandonados pelas calçadas inertes da vida. Não sei do vagar intermitente, do sentimento ao léu, afeto solitário que se propaga pelas vielas mal cuidadas, sob o manto cruel da descrença, da penumbra humana. Não sei do que não se vê mais e nem se sente. Não sei do desapego que minha pele se faz do mal desnecessário, nem do desnudar da alma, do despudor em sentir tudo com plenitude.

Não sei o que é amor. Não sei! Não sei! Não sei! Não sei nada de amor, muito menos dos retalhos que o costura, da poesia que o adorna. Não sei se sei amar, nem dos caminhos tortuosos pelos quais é necessário passar, as escolhas infelizes a se tomar. Não sei. Não sei amor, não sei amar. Não sei nada. E na condição humana de ser, não me cabe saber mesmo. Talvez eu o sinta. Aliás, eu sinto. Só não sei falar dele. Não me perguntem sobre ele. De algum jeito inexplicável sei que o sinto. E isto, sob a perspectiva da minha diminuta sabedoria, é só o que realmente importa...


Aspas do Autor: Não sei, nunca soube e nunca afirmei que sabia. Tudo o que escrevi e escrevo até hoje são  aproximações de algo que nunca vou mensurar. Nem ninguém... Escrever é uma busca, uma pincelada com cores finitas... Amor vai além do conceito humano. Mas sei que sinto. De alguma forma sei. É o suficiente,

16 comentários:

  1. E o maravilhosos da vida é isso, não saber ao certo o que é o amor e assim buscar sempre conhece-lo.

    Eu não sei o que é essa força profunda que me salva e ao mesmo tempo me leva para os abismos.

    Lindo texto!

    Beijos, tenha um lindo domingo.

    PS. Hoje é o aniversário do meu blog, passa lá e pega um pedaço de bolo, rs.

    ResponderExcluir
  2. amigo.
    Foi maravilhoso ler seu texto matar as saudades.
    A muito tempo não aparecia para deixar um carinho para você.
    Uma linda semana beijos,Evanir.

    ResponderExcluir
  3. Para tanto, deixo-te apenas uma frase da Inês Pedrosa: “O problema com o amor, como quase todos os substantivos abstractos, é que para o definir é preciso senti-lo, e nessa altura estamos demasiado ocupados para pensar.”
    E, das pessoas que conheço e dos escritos que aprecio, você é o que melhor define este sentimento, meu amigo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. menino assim você me faz chorar! Eu amei a homenagem no meu blog, não esperava mesmo.

    É um orgulho, pois, sou tua fã ao longo tempo, mas acima de tudo eu sinto que você é uma das pessoas que posso contar mesmo a distância. Você exala sentimento, amizade sincera. Quando eu estava com problemas de saúde você sempre queria saber como eu estava e gestos assim eu jamais esqueço.Por isso, me emocionei ao entrar no blog e ler as tuas palavras, de coração muito obrigada, você e meus outros amigos blogueiros me fizeram tão mais feliz hoje.

    ResponderExcluir
  5. *-------------------------------*
    Deu tudo certo na homenagem para a Luh em! nossa que correria, mas deu tudo certinho como queria \o

    Belo texto, esse em!
    Lembrei de alguns fatos que aconteceram comigo, mas, foi muito bom le-lo. Boa trça a ti, beijo *-*

    ResponderExcluir
  6. Oi Alê,
    Eu fico com a respostas das crianças....

    Definição de amor , Segundo as Crianças

    O QUE É AMOR? Esta foi uma pesquisa séria feita por profissionais de
    educação e psicologia com um grupo de crianças de 4 a 8 anos.
    Respostas:

    AMOR É QUANDO ALGUÉM TE MAGOA, E VOCÊ, MESMO MUITO MAGOADO, NÃO GRITA,
    PORQUE SABE QUE ISSO FERE SEUS SENTIMENTOS“ MATHEW, 6 ANOS

    "QUANDO MINHA AVÓ PEGOU ARTRITE, ELA NÃO PODIA SE DEBRUÇAR PARA PINTAR AS UNHAS
    DOS DEDOS DO PÉ. MEU AVÔ, DESDE ENTÃO, PINTA AS UNHA PARA ELA. MESMO
    QUANDO ELE TEM ARTRITE" REBECCA, 8 ANOS

    "AMOR É QUANDO UMA MENINA COLOCA PERFUME E O MENINO COLOCA LOÇÃO PÓS-BARBA, E ELES SAEM JUNTOS E SE CHEIRAM“ KARL, 5 ANOS

    "EU SEI QUE MINHA IRMÃ MAIS VELHA ME AMA, PORQUE ELA ME DÁ TODAS AS SUAS
    ROUPAS VELHAS E TEM QUE SAIR PARA COMPRAR OUTRAS" LAUREN, 4 ANOS

    "AMOR É COMO UMA VELHINHA E UM VELHINHO QUE AINDA SÃO MUITO AMIGOS, MESMO CONHECENDO HÁ MUITO TEMPO" TOMMY, 6 ANOS

    "QUANDO ALGUÉM TE AMA, A FORMA DE FALAR SEU NOME É DIFERENTE“ BILLY, 4 ANOS ( liiiiinnndooo!)

    "AMOR É QUANDO VOCÊ SAI PARA COMER E OFERECE SUAS BATATINHAS FRITAS, SEM
    ESPERAR QUE A OUTRA PESSOA TE OFERECA AS BATATINHAS DELA“ CHRISSY, 6
    ANOS (sem dúvida, a mais profunda!!!)

    "AMOR É O QUE ESTÁ COM A GENTE NO NATAL, QUANDO VOCÊ PÁRA DE ABRIR OS PRESENTES E O ESCUTA" BOBBY, 5 ANOS

    É tudo tão simples, tão bonito e tão verdadeiro, que fico sem palavras pra comentar o que é o amor.

    Beijos meu amigo ☺

    ResponderExcluir
  7. Blog novo! Vem comigo?

    http://manuellamontesanto.blogspot.com.br

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Alexandre, querido amigo!

    Fico sem, ou com poucas palavras, quando tenho de falar de seus textos e comentários deixados em em meus blogs.

    Você é de um rigor e de uma sensibilidade fora do normal. Busca as palavras, as veste, como se fossem pra uma festa de gala, lhe pinta os lábios de vermelho vivo e as atira, terna, prudente e sabiamente.

    Você sabe agradar! Você sabe tocar o coração das pessoas.
    Eu sei que você é brasileiro e isso, em geral, não é difícil, mas tanto, tanto afeto, assim, não direi que é demais, não, mas sim que é muito gostoso e aquece nosso coração, sobremaneira.

    Não me esqueci do seu texto, esse que escreveu, "agora", sobre o amor (o que antes escrevi foram as "preliminares" linguísticas, que tanta falta fazem num comentário) e que passo já a dar minha opinião.

    VOCÊ NÂO SABE O QUE É O AMOR? QUEM SOUBER, "ATIRE A PRIMEIRA PEDRA".

    Sabemos todos que é um sentimento muito bom, mas dar uma definição dele, nem pensar. Não conseguimos, porque só o sentimos.

    Camões disse: "Amor é fogo, que arde sem se ver" e ele tinha/tem razão.
    Então, não dá aquele calorzinho e taquicardia em nosso peito, e friozinho na barrriga, quando amamos?

    Seu texto está super bem escrito, nem é preciso dizer.
    Pra você prosa, sem dúvida. É perito.
    Brilha nas suas mãos o enleio das palavras, as sinto em mim.

    OBRIGADA PELO LIRISMO E BRILHANTISMO DE SEU POST.

    Bom Domingo.
    Beijos da Luz, com apreço e estima.

    ResponderExcluir
  9. Que maravilhoso...
    Amei ler!
    Amor é assim...não se sabe bem...mas se sente, e forte...
    É sempre um encanto vir aqui, agradeço sua visita sempre no meu cantinho meu amigo.
    Sempre que tenho tempo venho aqui sorvir das tuas doces palavras e da tua poesia que invade a alma.

    Beijos no coração!
    Bom domingo e que teu novembro seja de bençãos...
    doce novembro....

    ResponderExcluir
  10. Você fala do amor docemente.
    Porque o amor é o silencio borbulhando a alma que nenhuma palavra consegue definir.

    O amor... ah pra que definições de amor se ele por si só se define como tal.
    Eu também não sei o que é o amor, mas quero sempre olhar um olhar e poder descobri-lo na sua essência. Ou mesmo ter aquele friozinho na barriga quando pensar no amor. Porque mas do que saber é eu preciso viver..

    Beijos Alê, dois comentários em um são pouquíssimos que podem ter isso, hehehehe.

    ResponderExcluir
  11. NUnca sabemos bem o que é o amor até vivenciá-los e até vivenciando demoramos a nos dar conta de que aquele sentimento todo é o amor mais lindo que existe!
    adorei seu texto!
    bj

    ResponderExcluir
  12. Lhe indiquei o Prêmio Dardos.

    http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. E o que mais é o amor além disso tudo que foi dito tão lindamente?!
    Amor é isso...e é muito mais... o sentir o amor é algo tão subjetivo que não cabem questionamentos.
    O amor é tudo que nos move.

    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  14. Voltei novamente...agora, para desejar uma sexta feira abençoada..

    Beijos no coração!!!

    ResponderExcluir
  15. Desde os primórdios da poesia que se fala sobre amor, algo mais próximo ou mais distante, mais belo que o outro ou não, mas nunca totalmente mensurável. Gostei do texto.

    Tive que responder o seu comentário na frente de todos os outros porque simplesmente aprecio muito o fato de você lembrar de mim e sentir falta das minhas visitas. Muito obrigado por isso, amigo >.<

    Bom fim de semana pra você. Abraço! :)

    ResponderExcluir
  16. Sensações indescritíveis. É o que sinto quando te leio. Obrigada por me proporcionar isso.


    Beijos, Alexandre :)

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!