23 de junho de 2012

Diários de Bicicleta




A Sensação da Descoberta


Lembro-me que desde minha tenra infância nutria a vontade de andar de bicicleta. E não era nada que não significasse, porque para mim tudo significa algo além do que se pode ver e sentir. Existe um prazer maior oculto em cada experiência que se vive. Pedalar e, enfim, me ostentar pelo mundo mágico que me abraçava, inicialmente não soava tão especial. Obviamente essa teatralidade que eu tanto desenhei, não foi como eu imaginei. Mas aí sempre me questionei se eu estivera realmente enganado. E sim, eu estive. Demorei então para finalmente decair em minhas reais suspeitas. A sensação prevista por mim não era de longe semelhante. Não sei exatamente quantas, mas devem existir pessoas que também sintam em pequenos prazeres, uma incomensurável felicidade. Aos poucos fui descobrindo, e me descobrindo.

Foi então que o mundo se abriu e meu sorriso o acompanhou. Talvez pelo motivo de que nessa ocasião pude ter maior noção da realidade em si, da verdadeira força que se atrelava nas emoções de minha alma. Era real e eu sentia essa fascinante experiência. E não por sonhar uma vivência, mas por vivenciar um sonho. Teorias e suposições não se encaixavam mais nas entrelinhas de minha patética mente. A prática se confluía naturalmente e, embora não soubesse ainda, estava pra descobrir coisas mais importantes. Sei que parece meio infantil falar de tudo isso, mas são essas pequenas coisas, esses ínfimos momentos, os que mais me completam.

A descoberta de aventurar-se pela selva de pedra, absorvendo o melhor dela, me deixava em êxtase. A chance de desbravar meu próprio ser era enfim relaxante. Porque hoje não pedalo só por pedalar, assim como não amo só por amar. Na verdade eu não pedalo, eu voo carregando um mundo e meu coração segue junto, ajudando-me a manter o equilíbrio. A descoberta completa desse imenso prazer não veio imediatamente. Aventurei-me muito para enfim compreender o real significado do vento que resvalava em minha face.

Hoje isto é transcendental.

-
Texto originalmente escrito em 16 de outubro de 2007.





Aspas do Autor: É um texto antigo, de uma série que cheguei a começar no meu antigo blogue (e que rendeu 7 textos). Eu narrava minhas sensações e experiências com a minha bicicleta. Reler este texto me trouxe ótimas sensações, nostálgicas, mas ótimas. Fora a saudade em pedalar. Antes eu me deslocava só com a minha bike. Ia para trabalho, faculdade e pra todo o lugar que era necessário ir. Há quatro anos larguei a bicicleta pela moto e acabei deixando de pedalar. É uma pena. Mas a boa notícia é que ajeitei a bike e comecei a pedalar nos fins de semana. É isso mesmo. Mesmo fora de ritmo, estou adorando. Quem sabe eu não acabe escrevendo outro texto nos meus Diários de Bicicleta e poste aqui? É esperar pra ver. Meu carinho à todos.

8 comentários:

  1. Hey, gostei muito do seu texto! Acredita que eu não sei andar de bicicleta? aoioiaioaioaoia' As sensações descritas por você estão muito longe para mim. Pelo menos, sobre duas rodas.
    Até mais ;D

    ResponderExcluir
  2. Eu tive uma bicicleta quando menina, aos dez anos de idade. E ainda tinha aquelas rodinhas nas laterais, acredita? Era lilás, linda. Ficou na infância. Guardei na memória.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Andei muito de bicicleta.Até o dia que descobri a moto. Aí senti o que era esse vento no rosto... Hoje nem bicicleta nem moto. Mas as lembranças estão todas guardas no coração e na alma.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Amo andar de bicicleta. Sempre que posso, ando pelas ruas sentido um pouco de liberdade com o vento que mexe com meus cabelos e sussurar que tudo vai ser melhor.
    Simplesmente perfeito. Essas sensações, a liberdade. Poder ter um sonho realizado. Adorei. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. Amei, me vi no seu texto. Lembrei de quando eu era pequenininha e morria de medo de subir em uma bicicleta sem rodinhas, e como eu brigava com meu pai quando ele soltava do banco e me deixava cair, mas eu aprendi! haha Lindo texto. Beijos.

    http://esfriouocafe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi,ALF!Pedalar é ótimo eu adoro,faço isso sempre que posso,dá uma sensação gostosa de liberdade e como na minha cidade tem alguns lugares bem legais pra passear eu ando pra lá e pra cá de bike.
    Um ótimo final de semana!
    Beijsss

    ResponderExcluir
  7. :) Está aí uma paixão que tenho! Amo pedalar, amo! Não sei andar direito devido a falta de prática, por falta de áreas seguras na minha cidade o que é uma lástima.

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!