14 de abril de 2012

Demasia poética




“Quero poder jurar que essa paixão jamais será 
Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras...”
(Palavras ao VentoCássia Eller)


As palavras fartam, transbordam, exalam em demasia a melodia que ecoa nos quatro cantos da alma. Mas hoje acordei com fome de toques, com desejo febril pelo teu calor de mulher, teu suor adocicado com o mel do teu amor. Hoje extrapolei as sensações e estendi o meu faro para sentir o aroma da tua pele, o cheiro extasiante que se liberta dos teus poros femininos. Hoje pulei da cama com apetite de prazer, com um anseio vagabundo que percorre há tempos dentro de mim. Hoje quero viver dentro e fora de ti.

Estou farto das minhas palavras. É fato! Hoje quero dar poesia em toque; ecoar a rima no entrelaçar dos meus dedos aos teus; o refrão da canção composta no encontro dos meus olhos com os teus e o verso presente ao afagar tua nuca enfeitada com joias de candura, com minhas mãos sedentas de ti. Hoje quero dar-te a poesia do silêncio, a declaração ritmada pelo pulsar do meu coração, pelo som ofegante da minha respiração. Hoje quero te devorar em debutes intensos do meu amor.

A poesia vibra, mas hoje quero rimá-las no teu colo delicado, nos teus lábios úmidos em pura paixão. Quero compor poemas nas linhas poéticas do teu corpo, versar o meu amor ao atravessar tuas fronteiras com o deslizar cáustico da minha pele desejosa de você. Hoje quero declamar com os olhos, ou simplesmente com o suspiro quente da minha boca próxima ao seu ouvido. Quero te desenhar com a ponta dos dedos.

Chega de palavras. Hoje acordei com fome de romantismo, com anseio de amor à moda antiga. Hoje quero dedilhar a poesia em mimos silenciosos. Quero dar vazão ao que as palavras não podem alcançar, aos sentimentos que não consigo expressar em letras por ti. Hoje quero o amor decifrado no carinho da tua companhia, na curva bonita que meus braços farão ao te abraçar e te envolver. Hoje quero pés juntos, café da manhã na cama e bilhetinhos de amor espalhados pela casa. Quero te amar com a ponta dos meus cílios. Fazer chover dos céus pétalas de rosa em homenagem à você.

O amor palpita em sensações pontiagudas. Hoje ele quer delinear o seu carinho na palma da tua mão, no sacolejo dos braços num passeio sob o luar ou na mudez de um vislumbrar de estrelas ao estarmos deitados na grama sentindo o frio do vento surrupiar nossos colos. Hoje quero a borboletinha no estômago, a melodia da tua voz doce no meu ouvido. Hoje quero pipoca e escurinho do cinema, beijinho na ponta do nariz. Quero fazer serenata sob a tua sacada. Quero te declamar sem enunciar palavra alguma.

Hoje quero dar-te mais que a fragrância de um buquê de rosas. Quero que sinta a segurança nos meus olhos, a verdade do meu sentir delineada no meu sorriso criança, no meu semblante de bobo apaixonado. Hoje quero trespassar o sonho desenhado nas letras e contigo viver as mais belas fantasias. Quero contigo dar passos descalços na terra, rolar sutil pela margem de um rio, ouvir o assovio oco da natureza e das caudalosas águas de uma cachoeira junto contigo. Quero sentir os pingos da chuva a roçar e deslizar por nós. Quero que seja minha princesa.

Hoje o desejo por ti transborda a barragem que construí. Hoje a poesia desvencilha-se das letras e escapole pelas frestas da porta do peito para te encontrar, para no teu peito recostar. Porque hoje quero sentir próximo, o latejar frenético do teu coração, a imensidão da tua emoção revelada pela tua sede e fome de amor. Hoje quero te rimar com a epiderme do meu amor. Quero te versar com os holofotes da minha paixão. Quero estar em ti e ter você em mim.

Quero-te! Demasiadamente! Porque hoje destranquei a caixinha dos desejos e os libertei, vociferei-os com a rígida cobiça da alma. Sinceridade absurda que sintoniza o peito. Meu coração ardia em demasia, numa franca vontade de incitar o que no fundo me apetece. Tudo para lhe dizer que não quero mais te falar... E sim, tocar-te... Amar-te... Com as pontas dos meus dedos e com a ternura dos meus sinceros beijos. Hoje as asas estão ávidas pra voar.

E acredite, a minha melhor poesia não está nas letras...

 -

Porque voar ao seu lado é um sonho.





Aspas do Autor: Hoje acordei com vontade de libertar os desejos mais profundos amparados pelo amor que escorre em mim... Segredos lançados sem medo, descortinados por uma ousadia que há muito não via  no meu ser. Ímpeto que me devora... Coração que ama translucidamente...

8 comentários:

  1. Olá Alê,

    Simplesmente lindo. Li de uma vez só para não perder o ritmo dessa vontade, desse desejo, desse teu melhor que não é o teu melhor.

    Que os Deuses e a Deusa possa voar para sempre ao teu lado.E quando for necessário bilhetinhos de amor, seus dedinhos sejam brilhantes sim.
    Lindo demais!!lindo!

    Estava viajando desde terça por isso a ausência. Mas agora ja estou "perto".
    Gosto demais de você viu?haha meu irmão mais velho.

    Beijos na alma

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, amei sua visita, vc é fantástico, parabéns pela pessoa que és, pelo q transmites, se palavras não são o melhor de ti, Deus que lhe conserve então melhor a cada dia. Parabéns!!Me visite mais!!!abçoo

    ResponderExcluir
  3. Nem sempre consigo me prender a um texto longo, mas você conseguiu me prender a cada palavra, incrível! É maravilhoso esse sentimento que você demonstra, esse desejo que não pode ser camuflado, que salta fora do coração. Esse sentimento é tão intenso que só as palavras realmente não bastam, é preciso sentir o toque suave e ao mesmo tempo forte da pessoa amada. Às vezes acordamos assim, é tanto sentimento que não pode ficar preso, temos que correr para os braços da pessoa que é culpada por tantos desejos, por tanto amor.

    Não é nenhum segredo que eu sou sua fã, admiro esse teu jeito de revelar teus sentimentos, mas hoje você se superou.Amei o texto!

    Quanta paixão, não é, Alexandre? Rs. beijos.

    ResponderExcluir
  4. Amigo Alexandre! Como é bom voltar a ler os teus textos,ás vezes dou por mim a pensar como se passaram 3 ou 4 anos que não visitava ninguém e não postava nada em meu blogue,enfim... Deixas aqui as tuas vontades escritas se é Demasia poética não sei,mas sei o quanto faz bem acordar com essa fome ,com esses desejos de sentir a pessoa que amamos e beijar e amar e adormecer e voltar a acordar e amar de novo :) Sempre belo o que escreves.
    Cá te espero no meu cantinho,pois é com muito gosto que te recebo e sei que por aqui passaste


    Passo para te desejar uma
    maravilhosa semana

    Carla Granja

    http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  5. Um dia me revelaram que quem escreve poesia não vive cada letra redigida.Palavras de um sonho bom, anseios gaurdados, que poesia era afastar o real das mãos. Escrever o que não se tem provoca beleza em poesias tristes. Saber que se pode ir além, tocar o que se escreve, beber do beijo sonhado é encantamento poético, é lírio colhido por quem sabe que há um cheiro inebriante. E não mais saber, nem descrever ... simples, diretamente o dia vivido, o olhar compartilhado, a fantasia na cama dividida, o travesseiro ao lado quando está ocupado!
    Esse seu poema me faz sonhar ....
    Sopros d luz!

    ResponderExcluir
  6. Que a poesia sempre se faça presente dentro de ti,Querido amigo!
    Voltei pra ficar siiiiiiim...seus textos sempre me ensinam alguma coisa quando veio te ler :)
    Deixa teu msn para conversarmos mais depois? ;)
    Um beeijo e uma doce terça pra ti!

    ResponderExcluir
  7. Oi Alexandre,

    Um mundo de excelentes opiniões rendido a seus pés.
    É pena que poste pouco. Se calhar é o possível, né?
    Amei seu texto, cheio de cheiros, sabores e sobretudo intenções.
    Desejo, que as concretize, de coração.

    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!