16 de abril de 2011

Dia após dia




O ano começou há pouco. Mas lá se foram mais de três meses, como se fossem dias. Período esse da qual meu coração passou mais aflições do que as do ano passado inteiro. E não penso que tenha acabado por aqui. Eu sinto que ainda vivenciarei ainda muitas pressões adiante. O presente ano tem tudo para ser um ano de conflitos, ao qual terei muitas questões a serem enfrentadas, quanto à esfera dos sentimentos, do coração e tudo mais que se relaciona com o meu bem estar emocional, e principalmente espiritual.

Eu tenho uma boa intuição quanto a essas coisas. Tanto é que pressinto isto desde dezembro passado. E pelo modo como o ano iniciou, a intuição estava correta. Mas diante desses pressentimentos, sempre tenho muito cuidado. Absorvo as coisas com um mínimo de zelo e despretensão, para não me deixar levar por impressões. A verdade é que não me fico orientando totalmente por isso, apenas levo como referências para criar meu muro de cautela. Cuidados necessários, quando levados em conta a afetação que possivelmente vou ou posso sofrer. Neste caso, posso dizer que meus passos são calculados.

Não posso negar que certas coisas geram aflição. E esta prenuncia do ano, me deixou um pouco receoso. Embora eu fale isso com um tom de preocupação, eu sou levado a confessar que tenho aprendido a aceitar o quão necessário é, certos embates, para eu poder crescer e discernir a verdade existente nas emoções em que vivo ou compartilho. É como se eu sempre conseguisse encontrar algum meio para extrair algo de bom da agonia, separando o joio do trigo. Nesta questão, dou fé pelo simples fato de que já experimentei nos últimos anos muitas situações das quais sempre tirei algo positivo. A verdade é que as tribulações nos ajudam a evoluir, desde que se tenha firmeza nesta atitude de superar, claro. 

Os últimos dois meses foram bem tensos neste sentido. Eu estava com um tempo escasso e muito cansado, porque afinal o trabalho em excesso confere um esgotamento que acaba sugando um pouco da animação. Aí, somado ao meu tormento sentimental, minhas aflições referentes ao que sinto e o que vive em mim, eu simplesmente passei dias de puro inferno. Ficou pairando no ar uma infinidade de dúvidas, muitas interrogativas que sacrificavam meu bem estar. Eu fiquei a me afogar em muitas perguntas. E sempre todas ligadas ao meu coração, ao que sinto e acredito e no que devo fazer, o que realmente é essencial, como agir, o que não fazer.

Fiquei sem chão. Porque muita coisa acabou entrando em conflito com muitos princípios das quais cultivo em mim. Fica difícil tomar certas atitudes, quando você é permeado por uma conduta que você a julga correta para si. E burlá-las dói. Só de pensar em agir contra certos ideais e pensamentos, eu já me sentia desconfortável. Depois que agi contra o que eu acreditava, pelo simples pretexto de pensar em mim, ou pra ter amor próprio eu “adoeci”. Voltei atrás e melhorei. 

Estes últimos dias acenderam um estado de alerta. E pude aprender bastante. Agora, Jamais em hipótese nenhuma faço algo contra o que acredito e o que me faz bem, mesmo que haja uma ilusória justificativa, e muito menos se isso afetar terceiros. Seguir dentro do que concedi pra mim faz bem, e apenas isso faz bem, mesmo a custo de alguns sacrifícios. Não há felicidade plena sem que haja certas concessões.

Hoje estou mais leve. É sempre assim. Tempestades são inevitáveis, mas é previsível que elas passam. Sempre! Tanto é que acordei esses dias com um lema especial: ser mais doce e sereno. Talvez isto me dê a paz e o conforto necessário para poder suportar tudo com mais equilíbrio e sabedoria. É o que mais desejo. Eu continuo com as mesmas questões, as mesmas dúvidas, porque é impossível se separar disso em vida. Mesmo porque são fundamentais para que eu possa amadurecer. A aflição continua, o meu sentir e o meu amor continuam, mas por ora, estou leve, com uma paz e uma doçura sem igual. Estou amansado, e meu coração quieto.

No mais, quero estar pronto para os dias de amanhã, mais preparado para aguentar as intempéries do coração que ainda virão. Porém, há uma boa notícia entre tudo isso: também pressinto uma coisa boa, muito boa para esse ano. Mas, vou vivendo pra descobrir, um dia após o outro... E sem pressa.





Aspas do Autor: Bem, vou indo na luta de seguir a vida com mais leveza e tranquilidade, evitando me afoitar e desesperar muito. Quero poder viver sem pressa, com bom senso e moderação, sem esquecer de sentir a experiência humana de forma plena, e tudo mais o que é necessário para meu crescimento. Uma ótima semana para todos!

11 comentários:

  1. É, temos que ir vivendo um dia após o outro, às vezes certos do que pode vir pela frente, às vezes caminhando totalmente às cegas.
    Esse ano para mim foi um dos mais imprevisíveis, pois eu literalmente não estava esperando nada dele, então tudo o que recebi foi inesperado, em todos os aspectos de minha vida, tanto coisas boas ou ruins.
    A gente simplesmente não pode querer ter tudo, pois para termos algo sempre precisamos abrir mão de outra coisa, é assim que a vida é, devemos nos acostumar a certas atribulações e questionamentos que muitas vezes não possuem respostas, mas devemos sempre seguir nosso coração, por mais que ele erre, ele ainda é o melhor guia para as decisões.

    Alê, estou sem internet por esses dias, sendo esse o motivo pela minha ausência. Sinto tanta falta de ler outras palavras, mas logo estarei de volta definitivamente.

    Grande abraço e ti cuida.

    ResponderExcluir
  2. Seu blog é todo cheio de sentimento ^.^

    ResponderExcluir
  3. Lindo e impecavel!Amei seu blog seguindo bjs

    ResponderExcluir
  4. Não tem como evitar se afundar em dias ruins, que parece que mais nada vai ser bom. Como você mesmo disse, as tempestades sempre irão passar, pois essa é a vida em que estamos aprendendo a viver, com vários altos e baixos. No meio de tanta confusão, sempre vai haver algo bom o suficiente para fazer esquecer um pouco as coisas chatas que incomodaram por alguns dias.
    Continue com a sua luta para viver tudo com mais leveza, você vai conseguir, não é tão difícil. Desligue-se um pouco dos problemas, caminhe de manhã cedo para pensar na vida e veja algumas belezas naturais que o mundo tem. Recarregue suas energias e veja que tudo pode ser mais simples do que parece.
    Cuide-se bastante, viu Ale *-* Beijinhos, até mais s2

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto do modo que os questionamentos fluem de um jeito claro pra você, e isso sao poucos que conseguem, por isso, acho que você já está no caminho...

    Nesses momentos de transicoes, acho que devemos ficar bem quietinhos e esperar... além de seguir a intuição como você disse, e ter consciência de que a melhor maneira de passar por isso, é enfrentar nossos medos e ir a luta, porque o problema desses momentos prolongados é aos poucos e sem perceber, entrarmos em depressão, ou nos entregarmos a síndrome do pânico.

    Uma ótima semana pra você também lindo man, e com frescores do outono ventilando em sua cabecinha pensante e boa.

    * Fiquei pensando... você vai ser mais doce do que já é??? Vai ser um melzinho entonces lol


    Beijos de cá,
    Cris

    ResponderExcluir
  6. o mais importante mesmo é segurar a barra, né? é sentir todas as 'torturas' e mesmo assim seguir.
    importantíssimo (:

    ResponderExcluir
  7. Viver um dia da cada vez é o segredo para se viver bem.
    Para viver a dois, antes, é necessário SER UM”... poucos compreendem.

    "Enquanto não superarmos
    a ânsia do amor sem limites,
    não podemos crescer
    emocionalmente.
    Enquanto não atravessarmos
    a dor de nossa própria solidão,
    continuaremos a nos buscar em outras metades.

    Ser mais doce e sereno trará beneficios aos que te rodeiam e eu me orgulho de te-lo como amigo.

    Beijos doces e serenos
    Para viver a dois, antes, é
    necessário ser um."
    (Fernando Pessoa)

    ResponderExcluir
  8. Dizem que a vida é feita pra ser vivida da maneira mais leve possível, Alê! E não há outra maneira de se fazer isso do que vivendo um dia por vez, sem despero, resolvendo os problemas que nos chegam às mãos e devagar, na certeza de que com Deus tudo nos é possível!

    Um beijo, amigo querido!

    ResponderExcluir
  9. Oi,Alf!Ai ai nem me fale de conflitos, emoções e coração, meu coração parece viver num eterno conflito entre ele e a razão.Ir contra as coisas que a gnete acredita é levar um tombo na certa,mas os tombos são necessários para nos fazerem aprender também.
    E que as cosias boas venham logo.
    Eu preciso aprender a ser uma pessoa mais serena eu sou deveras tensa, ansiosa, vivo com emdo de que algo ruim aconteça assim sem mais nem menos...
    Beijosss

    ResponderExcluir
  10. Alexandre,

    Esses conflitos de vez em quando aparece, não tem como não tê-los, acredito eu que já faz parte.
    Enfrentá-los não é fácil, mas necessário.

    Aproveito pra desejar a você e a sua familia uma Feliz Páscoa!

    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  11. Gostei do desfecho.Não podemos prever o que acontecerá amanha,só vivendo para saber,e desfrutar do que a vida tem para nós .
    :)

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!