31 de julho de 2010

Do sofrimento à superação

Originalmente escrito em 16 de dezembro de 2007.

“Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha em fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!...”

(Tente Outra Vez. Raul Seixas)











Um dia ele sempre chega; esse negror fulminante que invade cada centímetro de nossa pele, de nossas vibrações e palpitações. Essa fumaça encobre o nosso céu e nos deixa em torpor, embriaga nossos olhos e nosso caminhar fica pausado, fraco e cambaleante. Uma inebriante força enfraquece nossos olhos e então inexpressivos caímos em si e notamos o ritmo diminuir, o dia acabar e a noite gelar. Os momentos de flacidez nos ditam, e nos coloca em suspensão. Sentimos o frio penetrar intensamente em cada poro, fazendo com que essa tristeza mórbida invada com uma força incomensurável. O paladar endurece e resseca. A pele fica rígida e insensível. O cheiro fúnebre se perpetua por entre o ar. A passividade que nos envolve nos limita e nos cobre de incapacidade, de descrédito. Deixamos de acreditar em nós.

As angústias nos afligem e nos alimenta com dor, e com toda a potência enraizada em brisas lancinantes e fatais. Tudo se torna cinza. As nossas forças padecem, e então nos sentimos impossibilitados, e inertes em nosso sofrimento, necessitamos de ajuda, de compreensão, e muitas vezes de um colo amigo, uma palavra de conforto. Nesse tempo nada se encaixa, nem funciona ou faz sentido. A culpa nunca é nossa. Toda essa neblina nos deixa cego e então é mais fácil apontar um culpado a esmo, sem notarmos que o nosso amor próprio é que se distancia cada vez mais. E a cada segundo geramos pensamentos confusos, comportamentos conflitantes, e ocasionamos irritações, brigas e outras superficialidades causadas por esse abalo emocional. Chegamos à beira de um ataque ou de um precipício. O choro e o extravaso, essa dor psicológica que nos atinge vem junto com crises de depressões e estresse. Decapitados por esse pairar, nos rendemos muitas vezes a essas quedas. Então tombamos e sofremos.

Entretanto, o mundo lá fora continua no seu ritmo normal, pouco ligando para o nosso sentir, o nosso estar ou nossas preocupações. O tempo afundado nessa prisão, nesse breu, é incompreensível, pois vai depender da força de cada um. Pode ser de um dia, meses ou até anos. Embora ela seja necessária para abrirmos os olhos e juntarmos forças para nos reerguer e superarmos as dores. A partir daquele momento vamos enxergando mais racionalmente, e com a ajuda de pessoas queridas, e principalmente de nós mesmos, nossa neblina minimiza e nossa visão se torna mais clara. Um dia então ela sempre chega; essa luz e esse brilho penetrante e que tem capacidade de nos levantar e nos dar força e vigor para viver. Num longo despertar nos analisamos e nos deixamos levar por essa cálida sensação de ânimo. Num súbito aos poucos vamos descobrindo a beleza que nos rodeia, a sublime vida que nos suporta e a luz que nos abastece. Aos poucos vamos aprendendo a renascer. E com muita fé, lentamente, vamos saindo do casulo em que nos deixamos envolver.

E numa consciente percepção descobrimos que ainda há muito que se ver, o que se viver, conquistar, angariar e aprender. As energias vão se recompondo, nosso vigor aumentando e nosso vibrar, nossa alegria e contentamento se recriam e se tornam presentes. A brisa resvala e nos fortalece; o sangue circula e nos aquece, nos deixando aptos e crescer, a alcançar os degraus. Aprendemos ali que devemos angariar forças para seguir em frente, e com muita luta e persistência chegar até além do limite. A cada minuto nosso ânimo vai se inflando, nosso caminhar fica mais vibrante, mais firme e sólido. As dores vão sumindo, as angústias disseminando pelo ar, e o corpo vai se enrijecendo, tornando mais forte e mais resistente.

A luz vagarosamente vai iluminando nosso semblante, e os corredores escuros de nossa alma vão clareando e a pulsante vida renascendo. Então chega uma hora em que finalmente nos reerguemos e firmes caminhamos felizes, contentes e determinados. Como fênix, ressurgimos das nossas cinzas e então nos abrilhantamos e nos fortalecemos. Tudo se renova. Tudo que antes nos afligia se aniquila, e as coisas boas novamente aparecem, e nisso somos envolvidos com cálidos abraços. Conseguimos finalmente sair do sofrimento com muita superação.

Assim como esse escuro sempre vem, ele sempre vai; da mesma forma que caímos, sempre levantamos. A vida nos ensina a superar as frustrações e as decepções. E o importante é que seja sempre assim. Que nos levantemos das quedas com mais força para resistir às dificuldades e obstáculos futuros. Que tenhamos força necessária para superar todos os problemas e desafios. Logo as quedas se tornam raras e a felicidade constante.






Aspas do Autor: É um texto antigo, escrito em 2007 no meu primeiro blog. Republiquei aqui por achar um texto bom pra se ler. Por mais tempo que possamos ficar mal ou sofrendo, chega uma hora em que precisamos levantar, pra recomeçar a viver. Tudo ao redor nos ajuda a superar. A vida sempre faz a gente passar por essas situações, para renascermos sempre mais fortes. Meu carinho à todos. E desculpem, mas logo volto à fazer minhas visitas.

19 comentários:

  1. Bravo! Fascinante! Eu estou de boca aberta com esse escrito...Estava lendo e me vendo entre suas palavras. Minha vida sempre foi de baixos e altos, mais baixos por sinal...porém, existe uma força em mim que nunca seca, que nunca enfraquece e o que me levanta.

    Gostei muito do texto.

    Bravo!


    abraços
    de luz e paz


    Hugo

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texo, profundo e verdadeiro. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Ale...
    Assim se vai..assim se vem..... as coisas passam as coisas mudam e no final sempre e nos com cada de um de nos mesmo......

    Adoro-te...Fascinante vc garoto.... sr
    Abraços largos!!!

    ResponderExcluir
  4. lindo o texto ,ja estava sentindo falta de voce no meu blog
    fique com DEUS e boa semana
    abraço

    ResponderExcluir
  5. Olá meu caro ALF!Nossa, pois é uma das coisas que mais me fascina no ser humano é essa capacidade de se reerguer de se recompor em meio há tantas dificuldades, realmente após cada batalha nos tornamos pessoas melhores e mais fortes.
    Um abraço!
    Uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Nunca deixarei de lhe dizer que tu és o "cara"!Quanta perfeição, emoção nas tuas belíssimas palavras!Rapaz, cuide de publicar o teu livro,viu!Não vejo a hora de tê-lo em mãos..
    Abraço!
    Uma boa semana.

    ResponderExcluir
  7. Amei o texto. Tem hora que temos que nos reerguer, que levantar de novo e seguir em frente. Sofrer apenas pelo que é trágico e tentar ser menos sensivel, as vezes. Confiar em nós mesmos.
    Muito, muito lindo!
    Boa semana, beijos *-*

    ResponderExcluir
  8. Meu anjo,
    desculpa te deixar sem resposta imediata. Não tenho celular TIM, infelizmente. Tive, até pouco tempo atrás, mas já o aposentei. Tenho dois agora, um Claro e um Vivo. Se pudesse, na verdade, nenhum teria. Nem fixo tenho (mas é culpa do meu pai, que detesta).
    Façamos da seguinte forma: escreva-me cartas. Mande um e-mail com o teu endereço para: daniele.zb@hotmail.com

    Obrigada também pel orientação quanto ao Turismo. Precisei mesmo daquilo e sim- sempre associo Turismo a ti, porque sei que faz.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Temos mesmo que aprender a superar nossas frustrações e decepções, Alf! O que não é nada fácil, mas possível.
    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  10. Muitas vezes nos deixamos sufocar por esse negror que envolve naquele momento mais crítico e acreditamos que nossas forças se acabaram, mas não podemos perder a esperança de que a luz vai voltar e nem ficar esperando que as coisas se ajeitem sem nos movermos, como você disse, o mundo continua apesar de nossos pesares e dores, mas sempre temos aquele ombro amigo à nossa disposição, aquele que nunca falha.
    E se nunca levarmos o primeiro tombo jamais aprenderemos a se levantar, as coisas difíceis da vida nos ensinam lições valiosas.

    Fiquei muito feliz com seu comentário no meu texto, de verdade, até perdi as palavras quando li, muito obrigado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Alexandre,
    Eu não tenho menor duvida de que é assim.
    Deixo um textinho meu que diz a respeito:
    Amigo, não permitas que a tristeza te domines; mas, se te sentes dominado, ergue-te de novo.
    Ainda que o teu sonho seja desfeito, tens o direito de sonhar de novo.

    Imagina que em ti ainda resta a grandiosa energia.

    Para aquele que sonha, este mundo é sempre um novo mundo.

    Amigo, não te permitas cair, mas, se caíres, levanta-te de novo.

    Ainda que percas a confiança, ainda que fracasses naquilo que tentas, não te permitas cair totalmente.

    O sonho é o viveiro da esperança.

    No imenso viveiro do sonho nascem tenros rebentos de esperanças, e os brotos crescem alimentados pelo sonho.

    Beijos meus
    PS:Obrigado por todo sua atenção.

    ResponderExcluir
  12. Oie,vc escreve mt bem.
    Primeira vez q passo aki.
    Me fez pensar q tm hrs q do nada a tristeza vem corroendo aos poucos e isso é complicado.
    :*

    ResponderExcluir
  13. É isso msm Alexandre
    Desistir, Jamais!
    Bjo carinhoso
    =)

    ResponderExcluir
  14. Lindas palavras!!!
    Recomeçar é preciso sempre!
    Bjinhus =*

    ResponderExcluir
  15. Ale, que saudades de você! Pensei que você tinha abandonado o meu blog de vez, nem vi que você estava postando, que horror ): Desculpa não aparecer por aqui, eu realmente não vi. Amei ver seu comentário, fiquei MUITO feliz. Obrigada pelo carinho sempre em deixar comentários gigantes e fofos pra mim, é muito bom ler sua opinião.
    Sobre seu blog e seus textos, sou suspeita pra falar, sou uma fã sua e quero que você publique um livro pra mim ter uma copia que você vai autografar, ok? *-* Ta lindo o texto, que bom que você postou ele, lindo demais. Belas palavras como todos, sempre bom vir aqui.
    Beijinhos e não, você não é o unico KKKKK Tem mais um menino, mas ele vem bem pouco :P

    ResponderExcluir
  16. Sexta ainda!

    Texto de 2007 mas, que casa perfeitamente com o momento que vc me contou pelas longas horas de MSN, né?
    Superação é teu nome do meio. E o melhor que quando te leio, não vejo só palavras... é o que tu pensa realmente da vida... segue assim...
    Nossas dores e sofrimentos são uma profunda banalidade para os outros, escreveu Oscar Wilde, deve ser verdade, pq quando se fica persistindo na dor, se desfaz agendas. A pessoas se voltam para outras pessoas e mundo segue como vc disse no seu ritmo normal! E segue!

    Vc sabe o jeitinho de plantar o jardim pra decorar sua alma, isso é bonito. É isso que eu tenho que aprender, eu ainda espero que me tragam flores... e isso é ruim... terrível eu diria!


    Adoro-te apesar de vc ser um chato, viu?


    P.S Vc sabe que adoro Raul né?

    ResponderExcluir
  17. E estará sempre atual, pois é a roda da vida.
    Belo texto, muito bem escrito.
    Te visitando pela primeira vez, te seguindo...

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  18. Eu sempre digo essa frase para os meus amigos ,ou para aqueles que perderam as esperanças:
    ''tenha fé em Deus,tenha fé na vida,tente outra vez..''

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!