16 de janeiro de 2010

Interrogativas






Não procure respostas. Procure perguntas. Certas.


Há um pequeno silêncio suavizado em cada passo que damos. Onde? E os anseios aparecem como pequenos segredos, prontos a serem entrelaçados pelo sentimento confuso de dúvida. Como? Porém, cada piscar de olho conduz a mil possibilidades. É mesmo? Faces de medo ou expressões livres de insuficiência. É possível? E paira sempre aquela sombra de suposições, sustentadas pela doce efervescência da sensação louca de viver. Quer saber? Viver é uma grande interrogativa. Então cada pensamento que flui, alimenta os desejos e sonhos, e constrói os caminhos à nossa frente. Como acreditar? Basta que tenhamos vontade em viajar no obscuro, e estar no invisível que nos prende a mil correntes sem o elo fraco, te quebrantando com perguntas sem respostas, porém, motivadores das passadas. É? O segredo é não correr atrás de respostas, mas de perguntas. As Certas. Dúvida? Muitas. Porque as portas fechadas sempre irão existir. Os degraus estarão dispostos a te oferecer sempre o mistério. E diante delas um vendaval de sensações e opções de escolha. Existe um modo?

O desalento presente em cada esforço nos leva a adquirir grandes lições. Pequenos traços de crescimento, grandes sensações de descoberta. Podemos? A força presente na capacidade de cada um de nós é o que oferece a possibilidade. A vital crescente em desejarmos aprender. Por isso? Mas nada é capaz de nos fazer esquecer os bons momentos em que vivemos. Nem das pessoas que por algum motivo, nos fizeram felizes e se tornaram especiais. Motivos? Nem sempre fica claro. Nem tudo fica à nossa disposição. Por quê? Fato é que caminhamos no vazio. Tudo se acalenta na vontade de amar. Mas o quê? O que faz o olho brilhar, o coração pulsar mais forte e a nossa vida tremer de emoção, de carinho, afeto. Há o segredo presente nos sonhos. Qual? O grande mistério é o que nos indica o horizonte. Não é a resposta que nos faz caminhar, mas a dúvida que nos instiga a continuar. Não se busca, nem se vive, quando não se tem um motivo. Especial. Particular. Dentro de cada um. Está claro? Não fica tão direto, nem tão literal, mas as particularidades essenciais, que nos são úteis, estão presentes nas entrelinhas da emoção. A vida segue nas reticências...

Porque não se pode entender, o que não dá pra compreender. Como? Nem mesmo existe como, nem mesmo um real objetivo. O que fica diante de nossos olhos é o que nos formula as ideias concretas. No mínimo, menos erradas. Ou pouco certas. É difícil acreditar? Mais ainda naquele sentimento em que tu não consegues descrever, mas que dança freneticamente dentro do seu coração. Coisas assim não se materializam, nem palavras definem. A vida é indefinível. O que precisamos e queremos é incompreensível, obscuro. Tudo dentro de uma caixa de pandora. Tragédia? Só se as respostas dentro dela vieram tudo de uma vez, como temporais de vidro aniquilando o corpo. Certos desígnios, quando descobrimos podem parecer perigosos. Sério?

Sempre há uma maneira. Só não fica estabelecido, nem mesmo tão evidente. O fato é que certas coisas não foram feitas para serem respondidas, nem situações para serem compreendidas. Emoções não existem para serem descritas. E a vida? Pra não ser desenhada ou sonhada. Tudo se sente, na medida em que queremos ser felizes, com aquilo que nos torna e permite ficarmos felizes. Não basta apenas viver. É preciso sonhar. Verdade? Sonhar é como um delicioso recheio da vida. É o que dá gosto em viver, porque sonhos fabricam caminhos, e a vida nos trata de levar até o destino final delas: felicidade.

Qual o sentido de tudo? Nunca vamos saber. As perguntas sem respostas jamais serão respondidas pelas respostas que imaginamos ser, porém elas serão as corretas. Então, não procuremos em vão no vazio. Não perguntemos mais qual o sentido de viver. Essa pergunta não é a certa, não tem fundamento. A pergunta é: Existe sentido em NÃO viver? Essa é uma pergunta certa, porque nos permite enxergar o verdadeiro caminho. Se tivesse sentido em não viver, ela seria respondida. E “não existe” não é uma resposta, mas uma constatação, de que mesmo sem resposta clara, possamos perceber que existe mais sentido EM viver. Só não é possível descrever ou definir esse sentido, apenas senti-lo e vivê-lo.

Então, o certo é procurar perguntas. Para viver as respostas.






Aspas do Autor: Queremos entender muita coisa. Necessitamos compreender alguns desígnios. Mas nem tudo fica exatamente claro. Isso as vezes nos deixa confusos. Porém, no fim só chegamos a uma certeza. Viver é a chave. Pra tudo. E assim vivemos as respostas. Às vezes, sem mesmo notar. Meu intenso carinho a todos.

8 comentários:

  1. Olá meu caro Alf!As dúvidas são tantas e as certezas são tão poucas, dúvidas nos consome, nos amedrontam, nos fazem pensar e pensar e agora o que será de mim?As dúvidas nos consomem,nos movem e nos comovem,mas que graça haveria em viver se não fossem as dúvidas.
    Cuide-se!
    beijosss

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, posso considerar este um dos teus melhores textos, com muita honestidade. Gosto de textos que não são superficiais, como aqueles em que se tenta tocar no assunto sem entendê-lo, mas o seu é bem completo. Viver não é nada complicado, basta ser essa coisa, SER tudo isso, e o resto vem. Ótima reflexão. :)

    ResponderExcluir
  3. Perguntas... já vivi para responde-las.

    Hoje eu não me preocupo mais... pois como vc disse, muitas vezes elas nem chegam, ou chegam muito tarde.

    Beijo doce!

    ResponderExcluir
  4. Viver em busca de respostas de nada adianta, por que são as perguntas que nos movem.

    Respostas nem sempre chegam, já as perguntas, sempre existem.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Adoro quando me escreve!
    seus textos são perfeitos!! E as respostas que você me dá maais ainda
    beijoss

    ResponderExcluir
  6. Sonhos fabricam caminhos já virou subnick de msn. Obrigada.
    Ainda não sabemos tudo, mas que bom essa eterna busca de Sherlock do bem, que tudo pesquisa e tudo experimenta. Como Deus é bom...
    Meu intenso carinho a vc, em xicaras de café.

    ResponderExcluir
  7. Procurar mais perguntas?
    Vixi,então lascou!!!rsrs
    Eu vivo um ponto de interrogação constante,e não que eu seja confusa,indecisa.Isso eu não sou,mas que ando sem respostas pra muita coisa e não acho isso bom...isso é verdade.
    Bjo
    Tbm te adoro

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!