11 de abril de 2009

Magia no Infinito




É a hora de partir. Olhou aquele escuro e decidiu. Ele respirou fundo, então se jogou naquele infinito. Correu como nunca ninguém correu, numa velocidade jamais vista, inimaginável. Apesar de quão veloz podia ser, não cansava. Contemplava cada centímetro percorrido naquele ambiente do nada. Foi quando ele deu uma volta no infinito, que se deu o milagre. Universos às suas costas surgiram. Foi um ato instantâneo e demorado, mas ainda de duração inconcebível.

Seus olhos intensificaram a corrida. Apertou o passo, deu mais uma volta, agora contemplando alegremente o resultado, sorria com uma doçura infinita. E se deu o milagre. Céus e nuvens nasceram perante seu tormento de alegria. A transcendental transformação o deixou mais feliz ainda. Parecia brincar, mas brincava com seriedade, ria como jamais alguém riu. Naquele momento acabava de inventar o sorriso, o humor. Se sentira agora pleno.

Contemplou a terceira volta. Estrelas, cometas, auroras transluziram como um espetáculo. Seus olhos brilharam. Ao completar a quarta volta ao infinito, planetas, sistemas solares, satélites e milhares de mundos perfeitos em luz surgiram espalhados pelos universos. Ele contemplou e se emocionou, e durante a quinta volta chorou feliz como nunca ninguém chorou jamais. Cada gota de lágrima se derramava pelos universos. O amor dele se espalhou, e a chuva brotou em todo lugar. Brotaram em cada mundo criaturas perfeitas, prontas a terem a experiência da vida, além de uma frondosa natureza, num baile de perfeição. Correu e correu, tanto que surgiu o vento, tão forte que rasgou a camada escura do infinito e por um curto período de tempo o escuro do infinito se tornou luz. Logo o dia foi conhecido.

A quinta volta foi completada, com um misto de muita felicidade. Seu coração pulsou tão forte, tão doce, que tudo ao redor brilhou intensamente. De seu coração saiu um brilho mágico, azul, de serenidade incalculável. Essa luz se dividiu em dois. Surgia neste instante o homem e a mulher, dois seres provindo do amor dessa pessoa, do profundo do seu coração. Dois seres unos em espírito, semelhantes a ele, na essência. E viveriam nesses mundos, até um dia se juntarem definitivamente, num só corpo, numa só alma.

Ele estava em êxtase, iluminado. Ao completar a sexta volta, parou repentinamente. Sentou e adormeceu. Nesse instante deu-se a luz, e tudo no universo começou a funcionar perfeitamente. Depois de uma eternidade, ao acordar, visualizou tudo ao seu redor. Sentiu-se completo. Tudo no infinito tinha surgido inegavelmente em razão de seus próprios desejos. 

E espalhou o amor perante sua criação. Um leve momento, pleno, que iluminou seu coração. Ele sentou e ficou ali, a olhar o horizonte. Amando e velando tudo que trespassava aos seus olhos. Tudo ao infinito...





Aspas do autor: Até hoje, depois de muitos textos escritos, poucos realmente me tocam profundamente. Esse em especial não é inédito, mas poucos o conhecem. O escrevi com muito carinho há dois anos. A releitura que faço da criação universal é apenas uma liberdade poética que eu me propus a experimentar. O texto em si não tem apenas um toque teatral e simbólico, mas tem recheio de amor, de sentimento e de Deus. Me toca muito ler esse texto. Não poderia deixar de publicar aqui. Espero que se sintam bem. Grande afeto a todos. Até mais. 

6 comentários:

  1. escreveu a tanto tempo, continua brilhando forte! Que maneira linda de se contar sobre todos nós!


    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais belo, muito bem escrito. Foi bom conhecer esse lugar, voltarei mais vezes.

    Eu aproveito para agradecer a visita lá no meu cantinho. Gostei muito, e volte sempre.

    Um grande abraço,
    Átila Siqueira.

    ResponderExcluir
  3. que bom voltar e ler textos tão bonitos.
    beijocassssssssssssssss.

    ResponderExcluir
  4. [tô escrevendo no lugar certo?huaha..tomaaaaara!]

    Sério que não tá bem? =/
    Eu havia notado que você fez um mudançazinha no seu orkut, mas pensei que fosse algo passageiro, talvez um estresse ou algo do tipo..

    Poxa, eu tava passando por um momento e tanto, estava fraca e naum sabia como reagir, como falar, como pensar, minhas noites em clara nunca foram tão turbulentas e, ao abrir meu email, estava lá este devocional.. de começo, ignorei, mas voltei, li e reli e, só agora, vejo o quão importante foi para mim, ainda mais sabendo que fez bem á outras pessoas também.
    Mas quando estiver se sentindo de um jeito estranho, como se algum sentimento ou pensamento naum seja costumeiro em vc, lembre-se:

    "Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés. O último inimigo a ser destruído é a morte."-- 1 Coríntios 15:25-26"

    Nada poderá te derrubar ou te entristecer a não ser que você deixe. Mostre o quão valente és, erga-se diante do problema e não se intimide. O encare como nunca encarou nada na sua vida, é apenas mais um obstáculo que tens que passar para chegar á vitória!


    And here we go again!!
    Bjus da Samurai

    ResponderExcluir
  5. Olá, alf!Lindos textos como sempre, vc tem talento escreve com profundidade, com a alma.
    Parabéns por esse belo dom!
    Beijos

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!