7 de fevereiro de 2009

Sussurros da natureza




Era fantástico. Não me lembrava da última vez que me senti tão bem. Aquela sensação, e aquele doce fulgor transcorrendo por dentro de mim ritmavam uma sinfonia de paz, de aconchego e alegria. Sentia-me abraçado pelo vento suave que voava pelo ambiente, e acarinhado pelo farfalhar da folhagem das árvores.

A minha presença no sítio do meu pai levava-me a contemplar um ambiente excessivamente distinto do que vivia na cidade. Ali sentado na margem do rio, e com os pés afundados na água sentia mais vida e harmonia. A poesia pulsante naquele paraíso deleitava minha alma. Era como se uma canção de Vinícius embalasse as batidas do meu coração. Era mágico, terno e transcendental a natureza, e todo o meio ambiente se comunicando e sussurrando sentimentos.

Naquele momento de paz, pouco antes do entardecer uma revoada de pássaros destoava no céu azul-avermelhado. Em outro lugar via beija-flores pousando nas flores do imenso jardim do sítio. Num canto mais distante do rio podia se notar peixes pulando. Numa palmeira ali perto de mim um sabiá entoava lindas canções. Tudo me fascinava completamente. Eu poderia tranquilamente ficar ali, contemplando e ouvindo as vozes da criação divina.

Aquele ambiente me cercando ressaltava coisas boas, entre sensações, instantes e momentos, que sentia falta na cidade. Era como que ali existissem coisas raras no tempo de hoje, como sentimentos verdadeiros, como o amor, a bondade, sinceridade e honestidade. No ambiente reside tudo que hoje está tão fora de moda, tudo que a sociedade em sua maioria banaliza e não dá valor.

Mas contemplar tudo isso, me faz refletir. E meus pensamentos recaem sobre as ações do homem na atualidade, e o quanto ao longo de milhares de anos, em busca do desenvolvimento, ele foi degradando o meio em que vive, e a si próprio.  O que há hoje são indústrias poluindo o ar ou os rios; o desmatamento irregular e tão intenso na Amazônia; ou as próprias queimadas tão freqüentes no período seco; entre tantas outras que ferem o ambiente e que prejudicam os seres vivos que nele residem.

No sítio presencio um caso isolado, mas que observando bem, sinto um pouco de choro no canto do rouxinol, uma ponta de tristeza no vôo dos pássaros, e uma dor ecoando ao longo do horizonte, em tudo que me cerca. A natureza definitivamente sussurra e expressa da sua maneira o quanto a deterioração do meio ambiente lhe causa agonia e dor. Na sua maneira ainda respira um pouco de esperança.

Às vezes penso e me pergunto quando o homem vai perceber o quão é necessário cuidar e preservar bem do ambiente que o cerca, porque é nele em que se vive; é preciso saber se desenvolver com responsabilidade social e ambiental. A realidade hoje é dura demais. De um lado a natureza sussurra sua dor; de outro, o ser humano vive fingindo ser feliz e que está tudo bem, sem notar a verdadeira expressão de angústia estampada no ar.

Ante as minhas reflexões o pôr do sol se fez lindamente horizonte, e sumindo no seu espetáculo deu lugar à noite e as estrelas. Percorri meus olhos a tudo que ali me cercava, e ao mesmo tempo me senti confortado. A noite também tinha sua magia, pena que pouco apreciada. Sorri e fui me preparando pra entrar em casa. Parei e pensei novamente em tudo que refleti. Existem momentos que me custa ter esperança em acreditar que tudo vai melhorar, que o ser humano vai compreender e começar a cuidar, dar mais importância ao mundo e o que nele reside.

- Pai, a mamãe está chamando pra jantar.
- Meu amorzinho. Papai está indo.

Ao ouvir a voz da minha menininha saí do meu contato com aquele outro mundo. Sorri e fui de encontro a ela, pegando-a pelo braço. Hoje com cinco aninhos, era o meu tesouro, a jóia que eu tanto estimava e amava.

- Filha, que história você quer ouvir hoje antes de dormir?

Ela brilhou seus olhinhos azulados, pensou e então disse:
- Ah pai, hoje não precisa não. Quando durmo aqui no sítio, o barulho aqui de fora me faz dormir. Amo a natureza. Me sinto bem.

Eu a ouvir aquilo, me encantei. Beijei minha lindinha, emocionado com a sinceridade e inocência nas palavras. Sorri de imediato, veemente tocado pelo que pude ouvir. Olhei pra trás, avistei as estrelas, escutei aquele sussurro da vida pedindo ajuda, e pensei: “Ainda há esperança”.





Aspas do Autor: Meus amigos, antes de mais nada quero dizer que as minhas féris foram boas e bastante úteis pra renovar a minha alma. Deu pra descansar e espairecer. Fui rever parentes e amigos em Brasília e ainda dei uma passadinha em Araguari/MG, a terrinha da minha mãe, onde fui matar saudade de outros parentes maravilhosos. Foi adorável iniciar este ano. Também preciso deixar dito aqui, que durante os próximos 6 meses estarei muito envolvido no último semestre da faculdade, e só aparecerei por aqui no blog a cada duas semanas, ou mais. Espero que compreendam se a minha presença estiver regrada pelos blogs, mas preciso focar umas coisas importantes pra mim agora. Mas só durante esse período. Depois volto com mais frequencia, porque adoro meu blog e todos por aqui. Abrindo meu ciclo de pensamentos do ano, publico este conto maravilhoso, para que possamos refletir um pouco. E esperem que nesse ano vamos refletir muito juntos.
Fica aqui meu carinho enorme. Abraços a todos. 

17 comentários:

  1. Oi moco, que bom curtiu de montao e descansou nas férias... nao tem coisa melhor que férias.

    Estou realmente preocupada com o meio ambiente… e acho que devemos sim, falar e falar, comentar e comentar, sobre a situação do planeta…

    Já há muito tempo comecei a separar meu lixo para reciclagem, além de gerenciar melhor o uso da água em minha casa e também energia elétrica. Coisas básicas que muitas pessoas nao dao importância, mas tb sonho com que todas fizessem de uma maneira verdadeira.

    Abraco pra tu tb.

    ResponderExcluir
  2. Tenho um cantinho de paz pra mim no interior de São Paulo.
    Aliás, vai virar post já já!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Alf, nossa que saudades que eu estava do seu blog.
    Realmente o ser humano desde o começo dos tempos vem acabando com a natureza em busca de um mundo melhor, mais sofisticado e que os faça mais felizes, mais ao invez de acharem isso, estam acabando com o único lugar que tinha chances de trazer felicidade. E fingem não ver isso, e continuam na sua degradação em busca do sonhado inexistente.

    beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Oi...
    ótimas férias para vc...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Sempre que vejo coisas do Norte é isso que sinto tão bem descrito no seu texto...uma natureza que fala!

    abs

    ResponderExcluir
  6. Alf, meu querido, menino do coração doce e tão lindo!

    Estou de volta após um longo período de reclusão e não poderia deixar de visitar este cantinho que tanto gosto.

    Já disse isto várias vezes, mas repito que adoro mergulhar nas tuas reflexões. Tens o dom de nos tomar pela mão e levar para lugares tão lindos que só uma alma pura como a tua consegue descortinar. Soubeste bem associar o romantismo do lugar que descreves e os desmandos do homem com relação à natureza. Ficou muito bonito o teu post, amiguinho!

    Sabe o que me intrigou no texto? O diálogo com a garotinha de 5 anos. Não o diálogo em si, que é de uma ternura envolvente, mas o fato de ter percebido que é a tua filhinha... é isto mesmo? Acredito ser a primeira vez que falas nela, pelo menos que eu tenha lido. De qualquer forma, esta descoberta me encantou, pois fiquei imaginando meu querido amiguinho Alf dentro de todo um processo de ser 'papai'. Deves ser um pai muito coruja, muito ternurento, muito afetuoso, pelo que tu nos passa nos teus escritos.

    Meu lindo, não estou mais no CARTAS, mas vou continuar falando de sentimentos e emoções neste novo cantinho:
    http://meireles beatriz.blogs.sapo.pt, onde espero continuar merecendo o carinho de tua visita.

    Desejando um período de faculdade inundado de realizações, deixo aqui meu carinho num beijo de saudade.

    ResponderExcluir
  7. Meu querido Alf:
    Segui sua viagem pedacinho por pedacinho... e vi o quanto voce curtiu cada pedaco dela. Esse seu sorrisao mostrava a sua felicidade
    interior.
    Voce eh uma pessoa tao transparente, Alf! Feliz daquela que o acompanharah e poderah ver esse sorriso tao terno, tao verdadeiro todos os dias da sua vida.
    Voce eh uma pessoa extremamente RICA em sentimentos interiores, coisa rara hoje em dia.
    Seu coracao borbulha amor, enquanto voce se questiona, e quer sempre ser uma pessoa melhor.
    Admiro muito voce, Alf. Porque com a sua idade, voce conseguiu o que quase consegui agora, questionando a vida.
    Voce esta muito na minha frente. E eu fico tao feliz por voce ter percebido a vida tao antes...do que percebi.
    Ah! meu querido, eu lhe desejo TODA A SORTE DO MUNDO...voce sabe! Leia meu coracao! Ele esta desejando tudo de MARAVILHOSO E ESPECIAL para voce.
    E eu tenho uma frase que esta sempre comigo: "O que tiver de ser...serah"...
    Um beijo carinhoso dessa sua amiga que te adora!
    MARY

    ResponderExcluir
  8. ALF,

    meu querido... a música é bem calma e tranquila... gostei mesmo. Acho que esta paz... a que você se referiu na história... anda um pouco difícil de encontrarmos em nós mesmos... mas acho apenas que porque vivemos imersos demais em nossas agonias e reclamações... e deixamos de apreciar o que há de bom em ser tranquilo... e lutar por isso...

    Beijos (Des)conexos!
    *Bem sei como será seu semestre... - rs.

    ResponderExcluir
  9. Alf, Alf, pelo visto as ferias foram otimas, aproveitou bastante, é claro deu o abraço na Nanita por mim o/
    tens razão quando fala da natureza, e do homens destruindo o que ainda resta, eu não acredito que um dia possa mudar, mas você, o seu 'futuro' me vez ver que ainda há esperanças! :)

    abraços amigo
    ;D

    ResponderExcluir
  10. E q bom q é viajar com vc, Alê...
    Super beijo

    ResponderExcluir
  11. Mas que delícia de momento, hein?? Quase pude sentir a brisa da manhã embalando sua poesia, o farfalhar e o assovio, e todas as outras cores...Realmente, assim dá pra ser feliz. Assim dá pra se renovar, coisa que tu trataste de fazer, com louvor! Essas grandes obras da natureza fazem parte do cenário doce da vida, o lado bom, que temos que preservar junto com os bons sentimentos.
    Pode contar comigo nessa luta.
    Que bom que tu gostou de tomar um cafezinho no meu humilde recinto virtual, hehehe, está mais que convidado pra passar por lá quando te apetecer. E eu tô te linkando, adorei aqui tb, de coração.
    Um café, um beijo e um lindo dia!

    ResponderExcluir
  12. Ah! Mas sempre há esperança! Pelo menos, é assim que gosto de pensar.

    Sabe, ás vezes quando estou indo para a faculdade, ao parar num sinal, fico apreciando o céu... Ou, em casa, gosto de parar no jardim e ficar apreciando essa beleza natural... Essa que o homem não pode mudar...

    Linda reflexão, meu amigo!
    E me desculpe pela demora. Como já te disse, gosto de vir aqui quando estou bem, pois o que escreves, não dá para simplesmente ler, sem refletir. É sempre belo demais...

    Um beijão e sabe que também és muito querido a essa amiga aqui de Pernambuco, viu?

    ResponderExcluir
  13. Mas que belo texto.

    Adoro as suas reflexões, amigo!

    Abraços!


    Marcos Seiter

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. OI...
    bom encontrar por ai seu blog, suas palavras tão doces, me faziam desenhar na mente cada detalhe. Fui quase um pai agora! rs.. brincadeira, mas pensar nestas coisas me levou pra longe... me fez talvez, não pensar em nada que possa doer...


    Um grande beijo...!

    ResponderExcluir
  16. Olá moço...qto tempo!
    espero que esteja bem...que bom voltar e encontrar boas palavras.

    Sucesso neste ultimo semestre ;D

    beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  17. ,muito bom foi ler esse texto e ver q onde moro poso desfrutar da natureza muiito bem!

    bejoos

    ResponderExcluir

O compartilhar de emoções nos ensina bastante coisa. As palavras, aquelas extraídas do coração são regalos plenos de um real sentimento. E isto encanta. A forma verdadeira de se entregar nas ideias e a intensa maneira de expressar o sentir lá de dentro, é uma arte de profunda beleza. Desperte o seu sentimento aqui, e não hesite em demonstrar o que pensas, o que achas, o que sentes e o que amas. Sinta a leitura e me encontre nas palavras. Opine e eu te encontrarei. Esta troca é o que nos ajuda a conhecermos e aprender melhor, sobre a vida, sobre o ser humano e sobre as diferenças. Eu serei profundamente grato. Obrigado!